Made in Space
Foto
Made in Space

NASA vai lançar a primeira impressora 3D no espaço

A primeira impressora 3D no espaço deverá ser lançada em 2014. A produção de componentes espaciais vai poder ser possível sempre que necessário

A NASA prepara-se para lançar a primeira impressora 3D no espaço, em 2014. O equipamento permitirá produzir diversas ferramentas e peças de reposição em espaços sem gravidade.

A inovação em causa irá reduzir os custos das missões espaciais. O dispositivo terá de suportar as vibrações de descolagem e operar com segurança num ambiente sem gravidade. Como todas as impressoras 3D foram concebidas para funcionarem em condições de temperatura e gravidade terrestres, a NASA optou por desenvolver um modelo novo em parceria com a empresa Made in Space.

“Imagine que um astronauta necessita fazer um reparo de vida ou de morte na Estação Epacial Internacional”, disse Aaron Kemmer, director executivo da empresa. “Ao invés de confiar que as peças e ferramentas necessárias estão na estação, e se as peças pudessem ser impressas em 3D cada vez que precise delas?”

Como prova da utilidade da impressora, os responsáveis recordam o episódio de 1970, em que os astronautas da Apollo 13 estiveram em perigo e tiveram de improvisar um filtro de dióxido de carbono usando um saco plástico, uma tampa e fita adesiva. Com uma impressora 3D, o problema poderia ter sido resolvido em minutos.

"Se queres ser adaptável tens de ser capaz de projectar e fabricar em tempo real. E é aí que a impressão 3D no espaço entra'', disse Dave Korsmeyer, director de engenharia do Centro de Pesquisa Ames, da NASA.

A agência espacial também está a realizar experiências na impressão 3D de pequenos satélites que podem ser lançados a partir da Estação Espacial Internacional e que, posteriormente, transmitem os dados para terra.

A impressora 3D constrói os objectos camada por camada, usando habitualmente materiais poliméricos. No entanto, estão a ser usados outros meios ainda pouco comuns. A fusão a laser e o pó de níquel-crómio permitem criar objectos mais fortes, como peças metálicas tridimensionais.

As novas impressoras deverão conseguir capturar os gases emitidos a partir dos plásticos extrudados, sendo capazes de imprimir as peças para a sua auto-reparação e reciclar outros produtos.

Em Agosto, a NASA testou com sucesso um componente metálico 3D para um foguetão que vai permitir reduzir os custos da exploração espacial. O entusiasmo é grande e o inventor do projecto é porta-voz dessa expectativa: "Cada vez que percebemos que podemos imprimir algo em 3D no espaço é como se fosse Natal", disse Andrew Filo à Associated Press, revelando que, no futuro, será possível esquecer os conceitos “racionalizar” e “irreparável”.