Rui Moreira: “Se os partidos não entenderem o que se passou aqui hoje, então não perceberam nada”

Candidato independente diz que partidos não têm estado bem.

Rui Moreira fez a festa com os seus apoiantes
Foto
Rui Moreira fez a festa com os seus apoiantes Paulo Pimenta

O novo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, fez um discurso argumentando que a sua vitória marca um novo momento na vida política da cidade.

“Pela primeira vez, o partido que venceu na cidade foi o Porto. Tenho orgulho dos portuenses, tenho orgulho em ser portuense. O Porto mais uma vez na sua história mostra de que é feito, mostra a sua fibra. Não se deixa influenciar por mensagens, por promessas irresponsáveis”, disse Rui Moreira, numa sala cheia de gente, onde foi constantemente interrompido por gritos de “vitória, vitória”.

“Sempre dissemos que não somos contra os partidos, mas os partidos não têm estado bem, e esta eleição é um claro sinal do Porto de que é possível fazer diferente e que os partidos têm de ser diferentes. Se os partidos não entenderem o que se passou aqui hoje, então não perceberam nada”, avisou Rui Moreira.

Na hora da vitória, o candidato independente aproveitou também para acertar contas. “Também, em nome dos portuenses, gostava de me dirigir a todos aqueles que desde o início tentaram impedir esta candidatura, procurando condicionar os nossos apoiantes, que, obviamente, não se deixaram afectar.”

“Estou-me a referir desde às mais altas individualidades do Estado até a comentadores da TV com pretensões políticas individuais a dirigentes e comentadores de jornais que permanentemente tentaram intoxicar a população. Meus senhores e minhas senhoras, esqueceram-se de que estão a falar do Porto”, acrescentou Rui Moreira.

O sucessor de Rui Rio à frente da autarquia portuense prometeu “introduzir novos protagonistas na cidade e na vida pública e política”: “Porque um dos motivos por que votaram em nós foi para rompermos com o actual estado de coisas, em que são sempre os mesmos que permanentemente se instalam nos corredores do poder, gerindo compadrios e desperdiçando recursos públicos de todos nós. Quero dizer-vos que também cumprirei esse papel.”

“E mais uma vez, do Porto, daremos o exemplo a Portugal!. Viva o Porto.”

Com Hugo Daniel Sousa