António Parada assume a derrota e diz que foi o “poder” e não o “povo” que ganhou em Matosinhos

Socialista diz que PS nacional ganhou e que, no concelho, Guilherme Pinto ganhou com meios “desproporcionados”. Dezenas clamam vitória do independente em frente à sede.

Foto
António Parada assume a derrota Fernando Veludo/NFactos

O candidato do PS à Câmara de Matosinhos, António Parada, acaba de assumir a derrota face a indicações de dados preliminares de algumas mesas de voto do concelho.

“O grande derrotado da noite sou eu. Ao que tudo indica, o PS perdeu em Matosinhos. Mas o PS nacional ganhou. Só eu perdi. Ganhou o poder e perdeu o povo em Matosinhos”, disse Parada no palanque da sede do PS em Matosinhos, perante uma plateia cheia que o aplaudiu e lançou várias críticas e até impropérios em relação à candidatura do independente e ex-militante do PS, Guilherme Pinto.

Aliás, Parada, que não revelou os dados concretos que afiançou, sublinhou a vitória de Guilherme Pinto, ao mesmo tempo que assumiu a sua derrota, sem, porém, jamais referir o nome do adversário.

Parada acusou a candidatura de Guilherme Pinto de ter usado “meios desproporcionados” e garantiu estar disponível para continuar a “defender Matosinhos” com todas as suas “forças”. O socialista lamentou ainda o facto de os matosinhenses terem sido “induzidos em erro” por promessas do “poder” e salientou ainda que vai procurar saber como “vão ser dadas as prometidas chaves de casas que não têm portas”.

“Valeu a pena. Agradeço a todos os que se envolveram neste projecto do PS comigo”, salientou ainda Parada.

Face à desilusão vivida na sede do PS de Matosinhos – ainda que com aplausos de apoio a Parada –, o entusiasmo governa agora o espaço envolvente da sede de Guilherme Pinto, a poucos metros da sede socialista. “Guilherme és tu o presidente”, entoam dezenas de pessoas, que já bloqueiam a rua defronte da sede.

Guilherme Pinto deverá reagir à vitória dentro de alguns momentos.