Atentado em mercado mata pelo menos 42 pessoas no Paquistão

Ataque não foi de imediato reivindicado.

Foto
HASHAM AHMED/Reuters

O número de vítimas foi confirmado à Reuters e à AFP pela polícia e pelo médico de um hospital. Muitos dos feridos sofreram queimaduras graves. Foi o terceiro atentado numa semana em Peshawar.

O ataque, ocorrido no mercado Kissa Khwani, não foi de imediato reivindicado. A polícia informou que a explosão foi causada por um carro-bomba. O jornal paquistanês Dawn citou o ministro da Saúde dizendo que o alvo do ataque poderá ter sido a principal esquadra de polícia da cidade, situada junto ao mercado.

"Os implicados na morte de inocentes são desprovidos de humanidade" e não podem agir em nome de nenhuma religião, declarou, num comunicado, o primeiro-ministro Nawaz Sharif, que está em Nova Iorque. 

No domingo passado, um duplo atentado bombista suicida contra uma igreja anglicana matou mais de 80 pessoas. Reivindicado por um grupo taliban, foi, nos tempos mais recentes, o mais grave ataque contra cristãos no Paquistão. Os taliban rejeitam a Constituição do país, que querem ver substituída pela lei religiosa.

Na sexta-feira, pelo menos 17 pessoas foram mortas devido ao rebentamento de uma bomba num autocarro que transportava funcionários públicos, perto de Peshawar.

 

Sugerir correcção
Comentar