CDU atacou na campanha Governo e "rival" PS nos feudos habituais

João Ferreira e Jerónimo de Sousa esta segunda-feira em Lisboa
Foto
Jerónimo de Sousa acompanhou o candidato à Câmara de Lisboa, João Ferreira, numa arruada. DR

A campanha autárquica da Coligação Democrática Unitária (CDU), liderada pelo secretário-geral comunista e concentrada em Lisboa e Setúbal, focou-se na necessidade de demissão do Governo PSD/CDS-PP, na renegociação do “pacto de agressão” da troika, mas em nada poupou o PS.

Além do executivo de Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, os socialistas, incluindo o antigo líder José Sócrates, foram dos alvos preferidos por “capitularem” face à Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional mas, sobretudo, porque o partido “rosa” reina agora em diversas câmaras onde comunistas, “Os Verdes” e Intervenção Democrática têm tradição de poder. O próprio Jerónimo de Sousa, em entrevista à Lusa, destacou a real possibilidade de a CDU voltar a liderar executivos autárquicos na simbólica Grândola, em Alcácer do Sal, bem como reforçar as posições em Évora, Beja e Loures.

Os antecipados “cortes” nas reformas e nas pensões, a ameaça “neo-liberal” sobre o Estado Social ou a urgência na aposta da produção nacional, em detrimento das “políticas de austeridade”, sublinhando-se que os socialistas “têm lá a sua assinatura”, não fogem de nenhum discurso do líder do PCP, que fez sempre questão de dizer que as pessoas da CDU “têm uma forma diferente de estar na política” para “servirem as populações e não a si próprias”.

Quase sempre nas suas zonas de conforto, a organizada e militante caravana da CDU, com a inevitável Carvalhesa, sempre ao vivo, ao toque de bombos e gaitas de foles, teve como pontos altos a arruada da Rua de Santa Catarina (Porto), o passeio e comício em Cuba (Beja), o quente concerto-comício no Lavradio e o contacto com a população da Baixa da Banheira (ambos no Barreiro).

Apenas com dia e meio a Norte - Viana do Castelo, Porto e Guimarães, e com incursões no Centro (Peniche e Marinha Grande) -, Jerónimo de Sousa foi repetindo as ideias base, maioritariamente junto de população mais sénior e manteve os objectivos prudentes de angariar “mais votos e mais mandatos”.

Em 2009, nas últimas autárquicas, a CDU conquistou 28 presidências de câmara.

Para os últimos dias de campanha, Jerónimo de Sousa aposta já esta quinta-feira ao almoço no tradicional bastião comunista do Couço (concelho de Coruche) e encerra a volta eleitoral da CDU em Loures, onde é candidato o líder parlamentar do PCP, Bernardino Soares.