E se alguém lhe oferecer ninjas para patrulhar o concelho, isso é campanha!

Foto
Há quem queira ver Cavaco Silva no Paço Ducal de Guimarães HUGO DELGADO

Uns prometem criar moedas locais, outros piquetes de avós para combater a delinquência. Bizarras, excêntricas ou visionárias, os candidatos apresentam propostas para todos os gostos

Ganhou celebridade nas redes sociais ao apresentar a filha, o genro e o neto, um bebé a quem chamou "carequinha lindo", na cerimónia de lançamento da candidatura, à qual faltaram parte dos membros da lista. "Escolhi mal a equipa", queixou-se o candidato do Partido Trabalhista à Câmara de Gaia. Se os page views correspondessem a votos nas urnas, Manuel Almeida seria o grande vencedor destas autárquicas. "Ganhando as eleições, irei formar ninjas preparados para ajudar a Polícia Municipal a tomar conta de Gaia. Toda a gente que for apanhada a roubar será julgada na hora", declarou um destes dias Manuel Almeida no seu estilo muito próprio, perante o gáudio de muitos milhares de internautas.

Mas o "ninja de Gaia", como se designa a si próprio, não é, de forma nenhuma, o único candidato eleitoral preocupado com a segurança de pessoas e bens. O candidato do PNR a Sintra quer criar "piquetes de avós" que "ajudem o policiamento de proximidade nas escolas e estações de comboio, alertando a polícia para casos de delinquência". Se os nacionalistas vencessem estas eleições, as lojas chinesas teriam os dias contados - bem como as "manifestações culturais marxistas" e as "associações de promoção da homossexualidade e de apoio a estrangeiros", às quais o candidato do PNR a Lisboa fecharia a torneira dos subsídios. E se não se pode acusar os nacionalistas de falta de coerência ideológica, do mesmo não pode gabar-se o cantor popular que concorre à presidência da Câmara de Faro. As suas promessas de esterilizar os cães e gatos do concelho passariam despercebidas... não se desse o caso de Vítor Silva correr pela bandeira de um movimento antiaborto, o Portugal Prò Vida.

Os animais não foram, de resto, esquecidos nestas autárquicas, ou não tomasse parte nelas um partido empenhado em defender os direitos dos amigos de quatro patas. Em Lisboa, o Partido pelos Animais quer obrigar todos os restaurantes, como "já acontece em vários países europeus", a incluírem um prato sem carne nem peixe na ementa, para "facilitar o convívio de vegetarianos com não-vegetarianos". Em Setúbal tenciona criar uma moeda local chamada "roaz", em homenagem aos golfinhos do Sado. Também o candidato socialista promete uma moeda local, de forma a que o dinheiro fique sempre na cidade, em vez de ser desviado para o sistema monetário internacional. A ideia é compartilhada pelos Homens da Luta. A dupla de comediantes que concorre à Câmara de Cascais pelo Partido Trabalhista quer criar como moeda municipal o "cascailho".

É que, apesar de estas eleições serem locais, percebe-se que as fronteiras dos concorrentes não têm limites. E se Marco Almeida pretende criar gabinetes de apoio à internacionalização de empresários de Sintra em África e na América do Sul, já o candidato socialista à Câmara de Olhão sonha com o desenvolvimento de produtos farmacêuticos.

Natal em Dezembro

"O Governo cubano pode ter interesse em fazer parcerias connosco para fazer o desenvolvimento dos produtos na Europa, que tem um mercado enorme", diz, admitindo, no entanto, que se trata de um projecto a longo prazo em que também inclui a Índia. Igualmente com ambições de internacionalização, os socialistas de Gondomar falam, no seu programa eleitoral, da "implementação de medidas de diplomacia económica no país e na Europa". Mais comedido, o social-democrata que concorre a Vila Real promete "ampliar o aeródromo municipal para viagens europeias low cost".

Já ao candidato do PSD à Junta de Freguesia de Reguengos ninguém pode acusar de promessas irrealistas. "Connosco o Natal será sempre em Dezembro", reza um cartaz seu descoberto pela página do Facebook dedicada às melhores pérolas destas eleições, o Tesourinhos das Autárquicas 2013. É também aqui que se pode apreciar um concorrente da CDU a prometer o direito à reforma ao fim de 40 anos de descontos.

Apesar de os eleitores nem sempre reagirem da melhor forma às preocupações dos partidos, a saúde dos munícipes não está a ser descurada. Depois da chacota de que foi alvo por prometer descontos em óculos e armações numa casa de óptica local, o candidato social-democrata de Sousela abandonou as redes sociais. Mais parecido com um anúncio publicitário do que com propaganda eleitoral, um cartaz seu anunciava 25% de desconto em todos os serviços. Para combater a desertificação, o PSD de Celorico da Beira tem uma solução: a oferta de um kit a todas as parturientes.

Adepto do aumento populacional, ignora-se o que o Presidente da República pensará disto. Mas quererá passar parte do que lhe resta do mandato em Guimarães? É isso mesmo que advoga a coligação que, na cidade-berço da nacionalidade, une os monárquicos ao movimento antiaborto. Reclamar a instalação de Cavaco Silva no Paço dos Duques durante parte do ano é uma das medidas do seu programa eleitoral - desde que a Presidência ajude a pagar a reabilitação do monumento. Com Cavaco, a coligação espera que traga também a Guimarães "o élan, a movida cultural, o movimento comercial e turístico, o impulso da indústria e dos serviços".

Como a tradição em Lisboa é para manter, o social-democrata que concorre à maior freguesia de Lisboa, António Manuel, quer ver ensinar fado no complemento curricular das escolas do ensino básico. E se houver quem pense que se trata de uma proposta algo bizarra que ponha os olhos no independente Barbosa de Oliveira, que pretende nada mais nada menos que dinamizar a zona das arribas de Sintra com uma marina. Ou no candidato do PS a Famalicão, e no seu projecto de um passadiço de 19km ao longo do rio Ave.

Ideias descabeladas? Ou visionárias? Cabe aos eleitores decidir - e é já no domingo.