Jorge Jesus acusado de duas agressões

Comissão de Instrução de Inquéritos da Liga abre processo disciplinar aos incidentes no final do jogo entre o Vitória e o Benfica

Jorge Jesus no final do jogo em Guimarães
Foto
Jorge Jesus no final do jogo em Guimarães Francisco Leong/AFP

Jorge Jesus é acusado de ter agredido um agente policial com "uma bofetada na cara e outra no braço" no final do jogo entre o Vitória e o Benfica (0-1), no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães. Esta informação consta no auto de notícia que a Polícia de Segurança Pública (PSP) enviou para o Tribunal Judicial de Guimarães, segundo revelou uma fonte policial citada pela agência Lusa.

Segundo este relatório, o agente supostamente agredido procurava imobilizar um adepto benfiquista que invadiu o relvado para obter uma camisola dos jogadores, quando o treinador "encarnado" interveio numa tentativa de libertar o espectador.

Na terça-feira tanto Jorge Jesus como o presidente do clube da Luz, Luís Filipe Vieira, desmentiram qualquer agressão, mas o técnico já foi, entretanto, constituído arguido, com termo de identidade e residência, aguardando ser chamado para depor.

Paralelamente, a Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) da Liga Portuguesa de Futebol Profissional abriu um processo disciplinar aos incidentes verificados no final da partida de Guimarães, segundo revelou uma fonte da Liga, também citada pela agência Lusa. Todos os envolvidos (Jesus, equipa de arbitragem e delegados da Liga) irão ser agora ouvidos por este organismo.

De acordo com a mesma fonte, a secção profissional do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol optou por não instaurar um processo de inquérito ao técnico, acabando apenas por remeter para a CII os relatórios do jogo e um link para as imagens televisivas relativas aos incidentes, que acabaram por motivar a instauração de um processo.

Sugerir correcção