Chrysler vai passar a estar cotada em bolsa

Construtora norte-americana de automóveis apresentou procedimentos ao regulador.

Ainda não se sabe a que preço serão vendidas as acções
Foto
Ainda não se sabe a que preço serão vendidas as acções Reuters/Gary Cameron

A construtora de automóveis norte-americana Chrysler, que pertence ao grupo italiano Fiat, lançou nesta segunda-feira oficialmente os procedimentos para passar a ser cotada em bolsa.

A Chrysler disponibilizou hoje um documento com vista a uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de acções no portal de Internet do regulador dos mercados financeiros dos Estados Unidos.

Já noutro comunicado, o fabricante afirma que o número de acções que será proposto e o preço a que essas serão vendidas “ainda não estão determinados”, não sendo também conhecida a data para essa operação.

Sergio Marchionne, patrão da Fiat e da Chrysler, já tinha dito há uns dias que esta operação podia acontecer “até ao final do ano”, mas que seria “mais provável no primeiro trimestre de 2014”.

Os títulos a serem dispersos em bolsa deverão ser vendidos pelo fundo de pensões Veba, que detém 41,5% do capital da Chrysler.

Este fundo de pensões não quer manter a sua participação na Chrysler e a Fiat estaria interessada em comprar. Mas os dois accionistas não chegaram a acordo sobre o preço: segundo dados recentemente citados pelo Financial Times, a Fiat avalia toda a Chrysler em 4,2 mil milhões de dólares e a Veba em 10,3 mil milhões de euros (3,1 e 7,6 mil milhões de euros, respectivamente).

A ida da Chrysler para bolsa não será a solução preferida de Fiat, mas esta permite que aconteça perante a ausência de um acordo entre os accionistas e o desejo da Veba de sair do capital do construtor automóvel.