Marco António Costa pede “registo de tranquilidade”

Comício do PSD em Vouzela.

Foto
Marco António Costa nega que o PSD queira destruir o Estado social Rui Gaudêncio

O porta-voz do PSD, Marco António Costa, quer que a última semana de campanha seja feita em “tom moderado”, mas ontem durante o dia, nas acções eleitorais onde participou, o seu discurso foi o de acusar o principal partido da oposição de “falta de responsabilidade”. Foi o recado deixado em Santa Comba Dão e à noite no comício em Vouzela, concelhos do distrito de Viseu, ambos liderados pelo PSD. 

Depois de uma passagem rápida por S. Pedro do Sul, o social-democrata compareceu no jantar que o candidato de Vouzela ofereceu aos eleitores e que decorreu no jardim frente à Câmara Municipal.

Antes dos discursos onde apelou à “serenidade política” para a última semana de campanha, Marco António Costa reforçou as forças, e o estômago, com um prato de arroz de costelas em vinha d'alhos. Uma refeição que terminou com laranjas e pão-de-ló como sobremesa. Mantimentos aconselhados para o “combate” da semana que ainda falta até 29 de Setembro.

Antes da chegada do porta-voz do PSD, o jardim de Vouzela estava cheio com as pessoas a circular entre as mesas. Os discursos ainda não tinham sido proferidos, mas a população já estava de “barriga cheia”.

“É caso para dizer que nos estamos a alimentar para ter mais forças para bater palmas”, gracejou António Pereira, que veio da freguesia de Fornelo do Monte.

José Rodrigues elogiou o jantar, a recepção à população e disse estar pronto para ouvir o que lhe tinham para dizer. “É a primeira vez que sou convidado para um comício, embora seja do PSD há muitos anos”, contou, esperançado que as pessoas tivessem comparecido “não só para comer”.

Mas já que comida não faltava, Maria de Lurdes Barros, de Ventosa, aproveitou para atestar a qualidade, uma vez que, referiu, “quantidade não é problema”. Os números não metem e, segundo o cozinheiro de serviço, foram servidas mais de 300 quilos de carne para 100 de arroz.

A chegada de Marco António Costa foi assinalada com as palmas e bandeiras laranjas, embora algumas pessoas ainda estivessem ocupadas com os pratos.

Já no palco, o social-democrata voltou a apelar para que a última semana de campanha seja feita num “registo de tranquilidade”. Um apelo que o candidato de Vouzela, Rui Ladeira, disse responder “positivo”, sublinhando que o “importante” é “mostra ideias e debater soluções”.

Depois do jantar e dos discursos, a festa do PSD em Vouzela terminou com música ao vivo. E a alameda ficou ainda mais cheia para ouvir a música que estava a sair de um palco colocado num camião TIR.

Antes, Marco António Costa fez uma visita-relâmpago a Santa Comba Dão. Estava prevista a participação do porta-voz do PSD na campanha de rua na freguesia de S. João de Areias, mas a acção acabou por não acontecer. Marco António Costa chegou já tarde e como ainda tinha que ir a S. Pedro do Sul, antes do comício em Vouzela, optou por uma passagem na sede de campanha do Partido onde cumprimentou alguns dos candidatos aos órgãos autárquicos.

Foi em Santa Comba Dão que Marco António Costa acusou o PS de ter “ultrapassado” as marcas de “cordialidade” nesta campanha eleitoral para as eleições autárquicas de 29 de Setembro e apelou a uma “linguagem mais moderada “por parte do maior partido da oposição. Para o porta-voz do PSD, é “desejável” que a oposição seja capaz de “garantir o mínimo de cordialidade”, lembrando ter sido responsável por em Maio de 2011 ter “atirado o país ao chão” por culpa de um “conjunto de erros governativos e opções erradas”.