Crónica de jogo

O Estoril nunca deixou o FC Porto estar confortável na Amoreira

Equipa de Paulo Fonseca empatou na visita ao Estoril e interrompeu série de seis vitórias consecutivas. “Dragões” viram vantagem ser anulada duas vezes, numa partida com arbitragem desastrada.

Foto

E, ao sétimo jogo, o FC Porto versão 2013-14 não venceu. A equipa de Paulo Fonseca cedeu um empate (2-2) no terreno do Estoril e interrompeu uma série de seis vitórias consecutivas.

Os “dragões” são líderes isolados da classificação, mas agora com um ponto de avanço sobre o Sp. Braga, dois sobre o Sporting e três sobre o Benfica.

Neste domingo, na Amoreira, os “canarinhos” anularam a vantagem do FC Porto por duas vezes e, na recta final do encontro, chegaram a ameaçar dar a volta ao marcador e ficar com os três pontos.

Com apenas uma alteração na equipa titular (de resto já esperada, com Josué a dar lugar ao belga Defour no “onze”), o FC Porto nunca conseguiu soltar-se na visita ao Estoril.

A equipa de Paulo Fonseca demorou 44 minutos a dar um ar de sua graça, altura em que desenhou a melhor jogada do primeiro tempo. Mas o lance, finalizado num cabeceamento de Fernando, terminou com uma excelente defesa de Vagner.

Se o FC Porto não pôde estar confortável foi por mérito do Estoril. Os “canarinhos” não acusaram o desgaste do jogo frente ao Sevilha (derrota em casa, por 1-2, na primeira jornada da fase de grupos da Liga Europa) e colocaram muitas dificuldades ao FC Porto. A equipa de Marco Silva nunca baixou os braços e, sempre que pôde, ameaçou a baliza de Helton.

Num desses lances, aos 12’, a noite do árbitro Rui Silva começou a correr mal. Luís Leal podia ficar isolado e pareceu ser derrubado por Otamendi. O defesa devia ter sido expulso, mas nada foi assinalado.

O FC Porto chegou à vantagem num lance em que o ex-Estoril Licá aproveitou um falhanço de Babanco para bater Vagner (26’).

Menos de dez minutos depois, o marcador voltava a registar igualdade. Só que o golo do empate estorilista nasceu de uma decisão errada de Rui Silva. Otamendi tocou com a mão na bola, mas fora da área, mas o árbitro de Vila Real assinalou grande penalidade, que Evandro não desperdiçou (35’).

A segunda parte trouxe um FC Porto ligeiramente melhor. E, aos 66’, Jackson Martínez recolocou os “dragões” em vantagem.

Mas a equipa de Paulo Fonseca não foi capaz de sentenciar a partida, e a alma estorilista evitou a derrota — aliás, quase rendia uma vitória. Luís Leal fez o 2-2 (81’), mas parecendo estar em posição irregular. E, aos 87’, teve o 3-2 nos pés, mas o remate saiu ao lado.

O FC Porto também teve uma oportunidade soberana, já no tempo de compensação, só que Vagner desviou por cima da trave um remate forte de Alex Sandro e o jogo terminou 2-2, tal como na última visita do FC Porto ao Estoril.