Paulo Fonseca avisa: “Gil Vicente é a equipa-surpresa”

Técnico do FC Porto destaca quarto lugar da equipa de Barcelos.

O treinador do FC Porto não quer excesso de confiança
Foto
O treinador do FC Porto não quer excesso de confiança Fábio Poço/nFactos

Em vésperas de recepção ao Gil Vicente, na quarta jornada da I Liga, o treinador do FC Porto considerou que a ausência prolongada de vários internacionais ao serviço das selecções “não pode servir de desculpa para nada”.

Paulo Fonseca desvalorizou o facto de apenas poder contar com o plantel completo no treino de sexta-feira, antes da partida de sábado (20h15, SP-TV1), tendo em conta que durante quase duas semanas esteve privado de uma dezena de jogadores. “Não sendo uma situação ideal, não pode servir de desculpa para nada e temos que conviver com ela”, disse Paulo Fonseca, na antevisão ao confronto com os gilistas, quartos classificados no campeonato, razão pela qual os considera “a equipa-surpresa”, até ao momento.

“Têm duas vitórias em três jogos, todas num contexto difícil. E a única derrota que sofreram foi contra o Benfica, na Luz, e apenas nos descontos”, recorda o treinador do líder do campeonato, que antevê uma “partida sem facilidades”.

Paulo Fonseca, que observou ao vivo o jogo no recinto do rival, admitiu que o Gil Vicente “é um adversário difícil, sobretudo por estar moralizado pela excelente campanha que está a fazer”. “Também melhorou do ano passado para este. Tem um plantel relativamente diferente, para melhor, e mudou de técnico. Tudo isso se reflecte”, afirmou. Razões pelas quais Fonseca aceita que o jogo no Dragão possa ser considerado “perigoso”, recordando que o Gil Vicente até foi a última equipa portuguesa a infligir uma derrota ao FC Porto, a 29 de Janeiro de 2012, em Barcelos, há duas temporadas.

“Temos a enorme obrigação de não relaxar, pois será um momento em que temos de estar a 100 por cento no que diz respeito às nossas tarefas”, disse Paulo Fonseca, que espera um adversário em tudo idêntico ao que se apresentou na Luz: “Em contenção, na defesa, e muito rápido na transição para o contra-ataque”.

Por fim, questionado sobre a vantagem de cinco pontos sobre o principal rival das últimas épocas, o Benfica, Paulo Fonseca entendeu “não valorizar, neste momento”. “O campeonato ainda agora começou. Não quero dar importância a isso. Apenas estamos focados nas nossas obrigações”, frisou.

Voltando às duas semanas sem os internacionais, o responsável portista revelou ter ficado satisfeito pela estreia de Licá na selecção de Portugal e ter acompanhado de muito perto todas as actuações dos restantes jogadores: “Uns jogaram, outros não, mas estou satisfeito com o que todos produziram”.