A maioria dos inquiridos admite que as tatuagens carregam um “estigma” Nuno Ferreira Santos
Foto
A maioria dos inquiridos admite que as tatuagens carregam um “estigma” Nuno Ferreira Santos

Tatuagens podem prejudicar procura de emprego

Estudo de universidade escocesa conclui que ter tatuagens visíveis pode ser prejudicial no contacto com os empregadores e impedir a contratação

Ter uma tatuagem visível pode ser determinante numa situação de entrevista de trabalho; isto porque os potenciais empregadores atribuem uma conotação negativa às tatuagens. A conclusão é de um estudo desenvolvido por um investigador da Universidade de St. Andrews, na Escócia, recentemente apresentado à British Sociological Association.

Andrew Timming, responsável pela investigação, falou com gerentes de empresas responsáveis pela contratação de novos funcionários, incluindo um hotel, um banco, uma prisão, uma universidade e uma livraria. No total foram 15 as pessoas abordadas. “Sujo” e “repugnante” são alguns dos adjectivos que os gerentes utilizaram para descrever o que sentem quando entrevistam um candidato com uma tatuagem visível.

A maioria dos inquiridos admite que as tatuagens carregam um “estigma”, pelo que os clientes ou as pessoas que lidam mais proximamente com os funcionários podem considerá-los “pouco limpos”, diz o investigador, citado pelo jornal britânico “Telegraph”.

A Timmimg, um dos gerentes disse mesmo que os clientes “podem projectar uma experiência de serviço negativa, baseados em estereótipos de que as pessoas com tatuagens são ‘drogados’ ou ‘bandidos’”.

“Não importa o que eles pensam sobre tatuagens — o que realmente conta, em vez disso, é como os clientes vêem os empregados com tatuagens visíveis”, conclui Timming. Pequenos animais ou flores chegam a ser aceitáveis para algumas pessoas, diz o estudo, mas “teias de aranha em pescoços, lágrimas no rosto, armas ou desenhos com um imaginário sexual” podem, até, afastar definitivamente a hipótese de contratação, lê-se no “Telegraph”.

Contudo, em prisões, ter uma tatuagem pode aproximar o funcionário dos detidos, criando-se uma ligação entre ambos. Insígnias militares, por exemplo, são tidas como “de honra”, acabando por ter uma conotação positiva.

O estudo diz ainda que quanto mais velhos são os gerentes, menos receptivos a tatuagens se mostram — o que sugere que as tatuagens se tornem menos mal vistas no futuro mercado de trabalho, aponta o “The Huffington Post”.