BE acusa Governo de substituir a política pela ameaça e pela chantagem

Na apresentação das listas de candidatos do Bloco de Esquerda à câmara de Lisboa João Semedo criticou ainda Fernando Seara e António Costa.

João Semedo
Foto
João Semedo Rui Gaudêncio

O líder do Bloco de Esquerda (BE) João Semedo acusou hoje o Governo de substituir a política pela “ameaça e pela chantagem”, numa alusão ao périplo europeu do vice-primeiro-ministro que disse destinar-se a preparar mais austeridade.

“Aquilo que o Governo está a preparar é uma nova vaga, é uma avalanche de austeridade: mais cortes nos salários, cortes nas pensões e nas reformas, cortes nos serviços públicos, cortes nos apoios sociais. É isto que o Governo está a preparar e foi disto que Paulo Portas e a sua nova adjunta Maria Luís Albuquerque [ministra das Finanças] foram tratar no périplo que acabaram de fazer esta semana pela Europa”, criticou o coordenador do Bloco de Esquerda, numa apresentação dos candidatos do BE à câmara de Lisboa.

João Semedo acrescentou que além de estar a tratar da “continuação da austeridade”, o vice-primeiro-ministro trouxe “uma nova ameaça e uma nova chantagem: ou cortam nas pensões e nas reformas, ou continuam a cortar nos rendimentos dos portugueses ou nós, ‘troika’ [Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu], cortamos o cheque-’troika’ a Portugal”.

Para o deputado e candidato à presidência da câmara de Lisboa, o Governo “substituiu a política pela chantagem, pela pressão, pela ameaça” e Paulo Portas e o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, estão a recorrer a todos os pretextos para imporem mais austeridade.

O vice-primeiro-ministro e a ministra das Finanças deslocaram-se esta semana a Bruxelas para encontros com os responsáveis da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional, para preparar as 8.ª e 9.ª missões regulares de acompanhamento do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro, não sendo conhecidos detalhes sobre o que foi discutido nas reuniões.

Seara devia ter trazido a cabeça, além dos pés, para Lisboa

João Semedo acusou Fernando Seara de se preocupar mais com “lamentos” do que com propostas, recomendando-lhe que trouxesse a cabeça, além dos dois pés para Lisboa.

“Fernando Seara diz que está com os dois pés em Lisboa, teria sido melhor que trouxesse a cabeça, porque talvez assim conhecêssemos as suas propostas”, disse João Semedo numa apresentação das listas de candidatos do Bloco de Esquerda à câmara de Lisboa, parodiando o “slogan” da candidatura de Seara.

“Temos ouvido o candidato da direita [Seara] a trocar as suas propostas eleitorais por lamentos. Diz Seara que foi prejudicado e acho que ele tem razão, mas foi prejudicado por ser o candidato do Governo, que esteve sempre na primeira fila a aplaudir as políticas de austeridade (...) e é por isso que terá uma grande derrota”, sublinhou o líder do BE.

O candidato da coligação autárquica “Sentir Lisboa”, o social-democrata e presidente da câmara municipal de Sintra, Fernando Seara, afirmou na sexta-feira, numa conferência de imprensa, um dia após o Tribunal Constitucional ter decidido a favor das candidaturas de presidentes de câmara já com três mandatos cumpridos noutros municípios, que foram “longos os meses” e que “custaram muito a passar”, enquanto esperava pela decisão, queixando-se que a sua candidatura foi prejudicada com todo este processo.

“Tudo tentaram. Providências cautelares, acções judiciais, campanhas difamatórias, para me vergarem e limitarem a capacidade de afirmação desta candidatura [...]. É por isso que estas eleições não são para pessoas que tenham medo. Quiseram ganhar na secretaria. Perderam “, disse o social-democrata na ocasião.

Já João Semedo aproveitou as declarações de hoje do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, que criticou os que parecem “zangados e contrariados” quando surgem boas notícias, para lançar mais farpas a Seara, questionando se os conselhos do primeiro-ministro se dirigiam ao próprio “que passa a vida a lamuriar-se das malfeitorias do Tribunal Constitucional” ou “ao seu amigo” Fernando Seara.

Gestão de António Costa foi de “muita parra e pouca uva”

O dirigente do BE atacou também os seis anos de gestão do socialista António Costa à frente da câmara de Lisboa, que disse serem de “muita parra e pouca uva”, comparando-o à oposição de António José Seguro.

“Nisso, os dois socialistas são muito parecidos”, salientou João Semedo.

O candidato bloquista à presidência da capital sublinhou que as prioridades do BE para a câmara passam pela resposta social, pelo combate aos interesses imobiliários e pela criação de uma empresa mista Estado-câmara para gerir os transportes na Grande Lisboa.

Além de João Semedo pelo BE concorrem à câmara de Lisboa Fernando Seara, candidato da coligação PSD/CDS/MPT, o PS com a coligação “Juntos Fazemos Lisboa” liderada por António Costa, a CDU com João Ferreira, o PPM/PND/PPV com Nuno Correia da Silva, o PCTP/MRPP com Joana Miranda, o PAN com Paulo Borges e o PNR com João Patrocínio.