CTT lucram 31,6 milhões no semestre

Correio tradicional continua em queda.

Grupo CTT emprega cerca de 14 mil pessoas
Foto
Certificados do Estado vão ter novas regras, com menor remuneração. Pedro Cunha

O Grupo CTT, agora englobado na Parpública, teve um resultado líquido de 31,6 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano.

De acordo com a prestação de contas semestrais da Parpública, este lucro, não obstante representar cerca de 80% do resultado alcançado em todo o ano de 2012, é inferior em 14,2% ao resultado do primeiro semestre de 2012.

Conforme explica a holding do Estado para as participações empresariais, a redução de 14% é “integralmente explicada pelas alterações decorrentes das decisões quanto ao pagamento dos subsídios de férias e de Natal”, tendo em conta, especialmente, o peso da massa salarial nos CTT. ”Uma vez corrigidos esses efeitos constatar-se-á que todos os indicadores de resultados evidenciam uma evolução positiva”, garante a Parpública.

A Parpública destaca ainda que se continua a verificar uma queda da procura no correio tradicional, o principal negócio do grupo CTT, com uma descida de cerca de 8% no tráfego e consequente impacto nas vendas e prestação de serviços. O impacto acabou por ser diminuído pelo aumento dos preços e subida da procura “em certos segmentos de maior valor acrescentado”, fazendo com que a quebra passasse a ser de 3,5%.

Por outro lado, esclarece a Parpública, “verificou-se também uma quebra marginal nos rendimentos de prestação de serviços financeiros, situação que a gestão espera inverter na sequência das recentes renegociações de contratos”.

Os CTT são uma das empresas estatais que o Governo quer alienar, prevendo-se que a privatização de 100% do capital (5% estão reservados para os trabalhadores) esteja concluída no final deste ano ou no início de 2014. Numa entrevista recente à Reuters, o secretário de Estado das Infra-estruturas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, avançou que o modelo de venda estará fechado em Outubro.