Joana Vasconcelos no Palácio da Ajuda: 235 mil pessoas viram a exposição

Exposição foi a mais vista de sempre em Portugal. Chegou ao fim no domingo.

Fotogaleria
Detalhe de "Lilicoptère" (2012) Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Euro-Visão" (2005), na Sala do Corpo Diplomático Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Perruque" (2012), na Sala do Retrato de D. Maria Pia Rui Gaudêncio
Fotogaleria
Joana Vasconcelos, vestida pelos Storytailors, com "Lilicoptère" (2012) Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"A Noiva" (2001-2005), na Sala D. João IV Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Brise" (2001), na Sala das Senhoras do Corpo Diplomático Rui Gaudêncio
Fotogaleria
Uma das peças "A todo o Vapor" (2012), na Sala de Mármore Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Marilyn" (2009), na Sala do Trono Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Petit Gâteau" (2011) saúda os visitantes à entrada na primeira sala da exposição Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Jardim do Éden", versão 2013 com o "M" e o "P" dedicados à rainha Maria Pia Rui Gaudêncio
Fotogaleria
Na Salinha dos Cães, "Bragança" (2012) e "Bartolomeu" (2012) Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Alorna" (2013), na Sala Rosa Rui Gaudêncio
Fotogaleria
Na Sala Verde, "Formentera" (2011) e "Joaquina" (2012) Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Apolo" (2013) e "Milorde" (2009), na Salinha Encarnada Rui Gaudêncio
Fotogaleria
A vespa "Maria Pia" (2013) no Quarto de Cama da Rainha Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Le Dauphin et la Dauphine" (2012) na Sala de Jantar Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"Stripes" (2012), da série "Tetris" na Antiga Sala de Bilhar Rui Gaudêncio
Fotogaleria
"War Games" (2011) no Vestíbulo Rui Gaudêncio

Nem a fechar mais tarde nos últimos dias se conseguiu dar vazão às filas que nos últimos dias cercaram o Palácio Nacional da Ajuda. A exposição de Joana Vasconcelos terminou neste domingo depois de há duas semanas se ter tornado na mostra mais vista em Portugal. As contas finais já estão feitas: 235.373 pessoas viram a exposição.

Quando ao fim de um mês a exposição já tinha sido tão visitada como o Palácio Nacional da Ajuda no ano anterior, antevia-se que os números pudessem vir a bater recordes. Afinal, os números são significativos se se tiver em conta que, segundo dados de 2012 do Instituto dos Museus e da Conservação, entidade que agora integra a Direcção-Geral do Património Cultural, passaram pelo Palácio da Ajuda durante os 12 meses do ano passado 50.065 pessoas.

O sucesso ficaria provado há duas semanas, quando ainda antes de terminar se bateu o recorde da exposição mais vista de sempre em Portugal com 178 mil visitantes.

Joana Vasconcelos no Palácio da Ajuda apresentava 38 obras criadas na última década, na maioria inéditas e outras emblemáticas, como A Noiva, Marylin e Coração Independente Vermelho.

Depois de ter mostrado alguns destes trabalhos no Palácio de Versalhes, em Paris, no ano passado – exposição que recebeu 1,6 milhões de visitantes –, a artista regressou a um espaço que foi habitado por uma família real, desta vez a portuguesa. A concepção da exposição foi inspirada na figura da rainha Maria Pia.

A par das peças cobertas de crochet, inspiradas no bestiário de Bordallo Pinheiro, estão também expostas obras mais recentes, como Lilicoptère, Perruque ou War Games.

A entrada da exposição tinha o preço de dez euros, mas existiam preços especiais para jovens, seniores e famílias. Havia ainda um bilhete especial que, por mais cinco euros, permitia que não se tivesse de esperar para entrar. A Everything is New, na sua primeira incursão na produção de um evento deste género, cobre todo o investimento da exposição e assegura a receita equivalente à que o palácio teve no mesmo período do ano passado. Quando atingir o breakeven, os lucros serão partilhados tendo em conta a média da receita do Palácio, mais 10%.

A última vez que o Palácio da Ajuda acolheu uma exposição que despertasse tanta atenção do público foi em 2007 quando apresentou De Pedro, o Grande a Nicolau II: Arte e Cultura do Império Russo nas Colecções do Hermitage. Esta exposição com peças do Museu Hermitage, de São Petersburgo, centrou-se na diversidade das personagens reais e na riqueza da vida na corte durante a dinastia Romanov, que abriu a Rússia à cultura europeia. Entre Outubro de 2007 e Fevereiro de 2008, foi visitada por 105 mil pessoas.

Notícia corrigida no dia 27/08 às 11h04: Corrigido o número de visitantes para 235.373