Fogo em fábrica de transformação de carne no Montijo

Unidade não estava a laborar mas estavam lá dois funcionários que deram o alerta.

Foto
Bombeiros conseguiram controlar às chamas à 1h Ana Banha/Arquivo

Um incêndio deflagrou neste sábado à noite, por volta das 21h, na fábrica de transformação de carne Carmonti, situada no Montijo, na margem Sul do Tejo. As chamas foram controladas à 1h mas os bombeiros continuam no terreno para fazer o rescaldo.

“O incêndio está controlado e a ceder aos meios, agora estamos a trabalhar para o conseguir extinguir o mais rápido possível. Foi uma operação complexa e demorada, que ainda não está terminada e temos um longo trabalho pela frente”, disse à Lusa, de madrugada, Patrícia Gaspar, comandante operacional distrital de Setúbal.

Já esta manhã, o comandante dos bombeiros do Montijo, Américo Moreira, disse à TSF que a fábrica ardeu quase por completo. "Há muito trabalho. A estrutura colapsou toda e há matéria que está em combustão por baixo da estrutura", afirmou.

O incêndio levou a que quatro bombeiros fossem assistidos no local. “Três bombeiros foram assistidos no local devido à inalação de fumos. Foi uma situação temporária e regressaram mesmo às operações. Um quarto elemento, que sofreu uma ligeira contusão num membro inferior, também foi assistido e está bem”, explicou Patrícia Gaspar à Lusa.

A fábrica Carmonti não estava a laborar no momento em que começaram as chamas, mas no interior estavam dois funcionários, que deram o alerta. As causas para o incêndio ainda são desconhecidas.

A presidente da Câmara do Montijo, Maria Amélia Antunes, disse à Lusa que esta fábrica, que existe desde 1985, tinha um projecto de ampliação. “É uma empresa de grande importância na agroindústria no concelho e mesmo na região. A empresa tinha um projecto de ampliação, o que significava mais postos de trabalho, e fiquei desolada com o que aconteceu e muito preocupada”, afirmou.

A autarca do Montijo espera que o incêndio não ponha em causa as mais de duas centenas de postos de trabalhos existentes na empresa Carmonti. “Espero que os prejuízos não inviabilizem a empresa e o seu projecto de desenvolvimento. São pessoas empreendedoras e tem muitos trabalhadores”, frisou

No combate às chamas estiveram envolvidos cerca de 70 bombeiros do Montijo e de concelhos vizinhos, contando também com o apoio da Força Aérea, que tem a sua base junto à fábrica.