Vamos observar auroras boreais a partir do sofá?

Esta será a quarta transmissão online de fenómenos astronómicos do projeto Gloria

Só precisas de um computador e ligação à internet. Depois é esperar que o fenómeno das auroras boreais comece. E fazer figas para que a meteorologia não estrague o espectáculo.

 

“Nublado na Gronelândia. A transmissão atrasou-se para dia 24 às 22h30 na Gronelândia, dia 25, 2h30 na Europa”. É um atraso de meia hora. Nada que ponha em risco a transmissão, a partir da Gronelândia, do fenómeno de luz e cor que dá corpo às auroras boreais e que estava previsto para se iniciar online (no site do Gloria e em sky-live.tv) a partir das 2h da madrugada deste sábado para domingo. Uma iniciativa do projecto Gloria - Global Robotic-telescopes Intelligent Array - uma rede mundial de telescópios à qual se pode aceder gratuitamente através da Internet e que disponibiliza fenómenos de astronomia. No ano passado a transmissão em directo das auroras boreais teve 15 mil espectadores online.

 

A Gronelândia é uma das localizações privilegiadas para se avistar o fenómeno. Se as condições meteorológicas não o impedirem, espera-se que nos próximos dias se revelem auroras boreais únicas, já que o Sol está neste momento na actividade máxima no seu ciclo global de 11 anos.

O investigador Miquel Serra-Ricart, do Instituto de Astrofísica das Canárias, explicou ao jornal "El Mundo" o entusiasmo: “Estamos no máximo solar. Este ano vai ser melhor do que o anterior para ver auroras. O Sol está cheio de manchas, quer dizer, buracos que permitem que possa sair a emissão de massa coronal. Estas emissões formam o vento solar, e este, quando chega à Terra, produz as auroras”.

 

Observar este fenómeno através do ecrã não será certamente o mesmo, mas cumprirá o desejo de muitos que não podem deslocar-se à Gronelândia ou a outros locais onde as auroras são visíveis, como a Islândia, o norte do Canadá, da Sibéria ou da Escandinávia. Uma emissão de luz que se produz entre os 100 e os 400 km de altura, devido aos choques do vento solar com átomos de oxigénio, o que origina os tons verdes, que são os mais frequentes. O carácter desabitado e a escuridão de que disfruta a Gronelândia potenciam a observação do fenómeno.

 

Esta será a quarta transmissão do projecto Gloria, que tem como objectivo a promoção da astronomia junto do público. O Trânsito de Vénus, quando o planeta passa à frente do Sol, ou o eclipse total foram outras transmissões com sucesso. Em Novembro do ano passado, meio milhão de pessoas acederam à internet para seguir o eclipse, num projecto que leva os seus membros há 15 anos em viagens por todo o mundo para presenciar fenómenos astronómicos.

 

Nesta expedição à Gronelândia participam 16 pessoas, entre astrónomos e estudantes, professores e turistas. Partilham fotografias online, desenvolvem actividades educativas e realizam as gravações para as transmissões em directo, para que todo o mundo possa assistir ao espectáculo das auroras boreais a partir do sofá lá de casa.