Parque de campismo e hotel da Covilhã evacuados

Fogo na Serra da Estrela já consumiu uma extensa área de mato e floresta. Não há habitações em risco.

Foto
Bombeiros tentam controlar fogo no Caramulo, que deflagrou na madrugada de quarta-feira Dato Daraselia

O violento incêndio que lavra no Parque Natural da Serra da Estrela desde a madrugada de sexta-feira obrigou neste sábado à evacuação do Parque de Campismo do Pião e do Hotel Varanda dos Carqueijais, ambos na Covilhã.

A informação foi avançada à Lusa pelo oficial de ligação da GNR, capitão Luís Patrício, que explicou que se tratou de uma “medida de precaução".

O Parque de Campismo, onde estavam 200 pessoas, foi evacuado às 6h. Duas horas depois, também o hotel foi evacuado, procedendo-se à retirada de 50 pessoas.

As autoridades tiveram também de cortar a estrada número 339, que liga a Covilhã à Serra da Estrela. Segundo a agência Lusa, este fogo já consumiu uma extensa área de mato e floresta, tendo também ardido uma casa que se encontrava devoluta. No entanto, não há habitações ameaçadas.

Durante a noite, os bombeiros da Covilhã receberam várias doações de mantimentos, feitas por civis, que entregaram leite, fruta e água no quartel. Ao meio-dia, mantinham-se 260 operacionais no combate a uma frente activa.

O incêndio na Serra do Caramulo, em Tondela (Viseu), que chegou a estar dominado na manhã de sexta-feira, reacendeu-se durante a tarde e era, ao início deste sábado, o que envolvia mais meios no combate às chamas. Às 12h, o fogo tinha duas frentes activas, combatidas por 287 bombeiros, apoiados por 81 veículos. Os bombeiros já pediram meios aéreos para ajudar no combate, dificultado pelo vento.

O fogo em Tondela, que lavra desde a madrugada de quarta-feira e já provocou um morto e nove feridos, e o da Covilhão são apenas dois dos seis grandes incêndios activos neste sábado, às 14h30.

Em Chaves já ardeu mais do que em 2012
Segundo a página de Internet da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), estão activos dois incêndios no concelho de Chaves (Vila Real), em Santo António de Monforte e em Calvão, que deflgraram nesta sexta-feira à noite.

A combater as chamas no terreno estão quase 150 bombeiros e meia centena de viaturas, auxiliados por quatro meios aéreos. Durante a noite as chamas ameaçaram habitações, tendo mesmo queimado alguns quintais, jardins, anexos e uma casa florestal desactivada. A autoestrada 24 chegou a estar cortada ao trânsito.

No entanto, durante o dia de sexta-feira, outros fogos atingiram este concelho. O presidente da Câmara de Chaves, João Batista, disse à Lusa que em cerca de 24 horas já arderam mais hectares naquele concelho do que em todo o ano passado. João Batista disse ainda que considera que terá de ser investigado o “número de ocorrências que deflagraram quase ao mesmo tempo, a hora e o espaço temporal em que ocorreram”.

Ainda no distrito de Vila Real, segundo a ANPC, há um outro incêndio activo desde as 16h de sexta-feira, em Torneiros/Beça, concelho de Boticas, que mobiliza 100 bombeitos, 30 veículos e dois meios aéreos.

O grande incêndio que afetou o distrito na sexta-feira, o de Soutelinho do Mezio que começou em Vila Pouca de Aguiar e se alastrou ao concelho de Vila Real, queimando alguns anexos, palheiros e até animais, foi dominado cerca das 04h.

Em Viana do Castelo, deflagrou às 10h15 um incêndio no concelho de Arcos de Valdevez, na zona de Ponte de Ervideira - Pedroso, que por volta das 14h tinha uma frente activa, combatida por 37 bombeiros.

Acompanhe o trabalho especial do PÚBLICO sobre incêndios e florestas e consulte as previsões do site de meteorologia do PÚBLICO.