Menezes paga rendas e outras despesas a moradores de bairros do Porto

Candidato do PSD reuniu-se esta semana na Câmara de Gaia com moradores com dificuldades económicas que residem em bairros da cidade onde se candidata e tem pago algumas facturas

Foto
Menezes promete baixar em 30% as rendas dos bairros camarários adriano miranda

Desfruta de um adicional de simpatia política junto do eleitorado mais popular e as sondagens atribuem-lhe a vitória nas eleições autárquicas de Setembro. Luís Filipe Menezes está tão convicto da conquista da Câmara do Porto que já estará a antecipar a resolução de problemas, pagando rendas e outras despesas de munícipes com quem se vai cruzando na pré-campanha.

O candidato do PSD à Câmara do Porto não anda a distribuir contribuições financeiras nos adros das igrejas para as associações locais da cidade, como acontece com Fernando Ruas, seu correligionário de partido e presidente do município de Viseu, mas empenha-se em pagar alugueres a moradores de bairros municipais do Porto com dificuldades económicas.

Segunda-feira de manhã, Luís Filipe Menezes recebeu na Câmara de Gaia, à qual ainda preside, inquilinos da autarquia à qual se candidata, com quem conversou e a quem solicitou os comprovativos das rendas da casa relativas ao mês em curso que ainda não tinham sido pagas. Mas não foi a primeira vez que o fez. Num dos casos, de acordo com relatos feitos ao PÚBLICO, Menezes pagou a renda de casa da inquilina e liquidou a factura da luz que se encontrava em atraso. E deu dinheiro a uma idosa para almoçar e pagar o transporte de regresso ao Porto.

A notícia de que Menezes está a ajudar pessoas com dificuldades económicas espalhou-se rapidamente pelos bairros e várias pessoas têm-se dirigido a Gaia para marcar audiências com o presidente-candidato, na tentativa de lhes resolver os problemas. Ontem, duas mulheres e os respectivos filhos que habitam a mesma casa, cujo senhorio é privado, compareceram para a reunião que fora agendada há quinze dias com o candidato, mas desta vez Menezes não compareceu.

As duas mulheres levavam consigo uma ordem de despejo do tribunal por rendas em atraso. Na ausência do autarca, reuniram-se com a secretária do presidente da câmara, que tomou nota do caso, tendo deixado a garantia de que, caso Menezes ganhe as eleições, podem contar com uma casa da câmara.

"Ela disse-me que agora não podia fazer nada, mas garantiu-nos que, se ele ganhar, teremos uma casa", afirmou ao PÚBLICO I.R., uma das mulheres que estiveram na reunião. "Conheço pessoas a quem ele [Menezes] pagou a renda, a luz, e foi por isso que lá fomos e não percebemos por que é que a nós, que estamos desempregadas, adiou para Setembro", adiantou a moradora.

Na segunda-feira, depois do encontro com Menezes, houve quem se dirigisse ao gabinete municipal do inquilino da empresa Domus Social, no Carvalhido, para saber se o aluguer relativo ao mês de Agosto estava, de facto, liquidado.

O PÚBLICO questionou Luís Filipe Menezes sobre esta prática, mas o candidato social-democrata não quis prestar declarações. "Não quero falar rigorosamente nada sobre isso. Não tenho nada para dizer ao PÚBLICO sobre isso", limitou-se a afirmar, manifestando algum desconforto pela abordagem. Contactada pelo PÚBLICO, a vereadora da Habitação da Câmara do Porto, Matilde Alves, recusou fazer qualquer declaração sobre os contornos deste caso: "Não tenho nenhum comentário a fazer sobre essa matéria".

Uma moradora, M.P., a quem Menezes pagou o aluguer da casa onde habita há mais de uma dezena de anos, não poupa elogios ao candidato. "Tenho uma fotografia dele", partilha, aplaudindo as festas que Menezes tem proporcionado aos moradores dos bairros. "Ele matou a fome a muita gente com as festas que tem feito. Ao todo, acho que já mataram 20 porcos ...", afirma sem certezas a moradora. "Não são tantos. Ao todo, foram cinco, um por cada festa. E as festas foram nos bairros de Aldoar, Falcão, Ramalde, Lordelo e Viso", corrige Ricardo Almeida, líder do PSD-Porto. Oficialmente, a campanha ainda não começou, mas Luís Filipe Menezes há muito tempo que anda no terreno a marcar o seu espaço e fazer promessas. Aos moradores dos bairros sociais, deixa a promessa de baixar em 30% o valor das rendas quando ocupar a cadeira de presidente da Câmara do Porto. Os moradores rejubilam com este tipo de promessas e empenham-se em passar a mensagem. E Menezes agradece.