Johan Larsson/Flickr
Foto
Johan Larsson/Flickr

"Phubbing": ignorar os outros com o telemóvel

Quando sais com alguém, preferes, muitas vezes, distrair-te com o telemóvel a dar atenção a essa pessoa? Se sim, então estás a praticar "phubbing"

Estás a ler este texto no smartphone? Pronto, tudo bem. Mas, espera lá... Estás a lê-lo numa saída com um amigo?!? Então o melhor é esperar que o encontro termine — quando chegares a casa lês o resto.

A razão é simples: se continuares a ignorar o teu amigo com o telemóvel vais estar a praticar "phubbing", que, segundo o site do movimento oficial contra o "phubbing", é o acto de ignorar alguém, numa ocasião social, ao olhar para o telemóvel em vez de prestar atenção a essa pessoa.

E sim, já existe um movimento oficial contra esse "flagelo". Na verdade, o Stop Phubbing é um movimento mais humorístico do que real, mas, como apregoa o ditado, "a brincar a brincar, dizem-se as verdades". No site é dado a conhecer, desde logo, o cenário "aterrador": "Imagina os casais do futuro sentados em silêncio. Relações baseadas em actualizações de estados. A capacidade para falar e comunicar face-a-face completamente erradicada".

Este alerta serve para, de seguida, os visitantes votarem a favor ou contra o "phubbing". Neste momento, a percentagem de votos contra a prática é bastante superior. Mas, se tal não acontecesse, o site do movimento apresenta alguns dados que poderiam fazer qualquer um mudar de opinião. Sabia, por exemplo, que se o "phubbing" fosse uma praga dizimaria um território equivalente a seis Chinas? Ou que 97% das pessoas afirmaram que a comida soube pior quando estavam a ser vítimas de "phubbing" durante uma refeição? (tudo isto é, claro, inventado).

Para acabar com esta tendência social, o Stop Phubbing disponibiliza uma série de "armas", como é o caso de posters e decalques com mensagens dissuasoras, prontos a serem descarregados, além de permitir o upload, para o site, de fotos de "phubbers" que cada pessoa conheça, a fim de embaraçá-los ao ponto de estes pararem com o comportamento em questão. Tendo em conta que "o 'phubbing' foi classificado, por consultores de etiqueta, como o fim da civilização", o melhor é começar a ajudar esta causa.