Caso Machete e BPN “fragiliza Governo no coração”, diz Seguro

Secretário-geral do PS acha que coligação às autárquicas no Funchal poderá “também proporcionar uma mudança da Madeira”

Foto
Para Seguro, Portas e Machete não são uns ministros quaisquer Miguel Manso

"O ministro dos Negócios Estrangeiros não é um ministro qualquer, a ministra das Finanças não é uma ministra qualquer e o vice-primeiro-ministro não é um ministro qualquer", frisou o secretário-geral do PS no Funchal, instado a comentar os sucessivos casos polémicos envolvendo membros do Governo, na manhã deste sábado.

Para o líder do PS, a notícia da edição do Expresso e que o PÚBLICO já tinha dado no passado dia 2 que refere que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, adquiriu acções do grupo BPN ao valor nominal de um euro, quando a Fundação Luso-Americana (FLAD) de que era presidente pagou 2,20 euros por cada acção  – é uma situação que atinge o Governo de Pedro Passos Coelho “no coração”, por  ultrapassar a questão política e atingir o plano da "ética" . E nisso, frisou, “somos implacáveis”.

“É preciso que se cumpra a lei e que se seja ético”, sublinhou Seguro, defendendo que “os portugueses têm direito a ter um Governo decente”. Recordando as razões que motivaram a apresentação de uma moção de censura em Abril passado, o dirigente socialista reiterou que o executivo PSD/CDS "não tem condições para continuar".

Depois de reunir com os membros da candidatura pela “Mudança” no Funchal, uma coligação que integra o PS e outros cinco partidos, Seguro mostrou-se confiante que “este é o momento histórico na vida da Região Autónoma da Madeira e na da cidade”. E expressou o seu apoio ao “conjunto de partidos que ofereceram o seu saber e todo o seu património” para, correspondendo ao “sentir dos funchalenses”, concretizar “uma mudança que faz falta aqui no Funchal”. “Esta semente dará mais tarde frutos para proporcionar uma mudança também em toda a região”, concluiu.

Nesta quinta visita à região no seu mandato, Seguro esteve na sexta-feira no Porto Santo e desloca-se este sábado ao Caniçal para um almoço de trabalho com os candidatos do PS à Câmara Municipal de Machico. À noite estará no Porto Moniz onde preside ao jantar de apresentação dos candidatos socialistas a este município do norte da ilha da Madeira.