Descoberto em Itália Too Much Johnson, o filme julgado perdido de Orson Welles

Rodado em 1938 para acompanhar uma peça teatral foi descoberto num armazém em Pordenone, no Norte de Itália.

Fotogaleria
Orson Welles nos anos 30, época em que realizou "Too Much Johnson", filme que queria projectar durante uma peça da Broadway o que nunca chegou a acontecer cortesia da © A.M.P.A.S
Fotogaleria
Mrs. Darthis (Arlene Francis) com o retrato do seu amante Mr. Billings (Joseph Cotten), um mulherengo de Nova Iorque George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Os dois são casados com outras pessoas, mas mantêm uma relação amorosa. Nesta relação proibida, Mr. Billings usa o nome de Johnson George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Mr Darthis (Edgar Barrier) descobre a traição da mulher eorge Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Para se vingar, Mr. Darthis tenta encontrar Mr. Billings através do pedaço de fotografia que a mulher tinha George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Mr. Billings (à esquerda) é perseguido por Mr. Darthis no West Washington Market, em Manhattan George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Billings esconde-se entre as caixas e mercadorias George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Durante a perseguição, Billings sobe aos telhados da cidade George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Mr. Billings corre pelos prédios mais baixos de Manhattan George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Quando estava com a amante, Billings dizia à mulher que estava em Cuba, em trabalho. George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
A mulher decide ir com o marido para Cuba, onde Joseph Johnson (Howard L. Smith) é dono de uma plantação George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
À esquerda, Lenore Faddish (Virginia Nicolson Welles, mulher de Orson Welles) está prometida em casamento a Joseph Johnson eorge Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Joseph Johnson passeando pela sua plantação em Cuba George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
O marido traído vai à Cuba atrás de Billings George Eastman House & Cineteca del Friuli
Fotogaleria
Já em 1920, o estúdios da Paramount tinha produzido "Too much Johnson", realizado por Donald Crisp, na foto, com o guião cortesia da © A.M.P.A.S
Fotogaleria
Orson Welles na direcção do filme "Too Much Johnson", a estreia de Welles como realizador, em 1938 cortesia da © A.M.P.A.S

O filme antecipa em três anos a estreia cinematográfica oficial de Orson Welles com Citizen Kane. Tem aproximadamente quarenta minutos de duração e foi criado como acompanhamento da adaptação de uma peça de 1894, com o mesmo nome, que Welles pretendia levar à Broadway com a sua companhia, a Mercury Theater.

Too Much Johnson  foi pensado para ser exibido em três partes, cada uma abrindo os três actos da peça, uma comédia sobre adultério protagonizada por Joseph Cotten ou pela então mulher de Welles, Virginia Nicholson (a música acompanhante, por sua vez, foi composta pelo futuro escritor célebre Paul Bowles). Porém, a peça redundou num fracasso e as sequências filmadas nunca foram exibidas.

Entregue pela Cinemazero, uma associação cultural de Pordenone, para ser recuperado pela George Eastman House em Nova Iorque, Too Much Johnson é descrito ao New York Times por Simon Callow, actor e realizador inglês e biógrafo de Orson Welles, como “o momento em que ele descobriu a edição e começou a perceber as suas possibilidades”.

Notícia actualizada às 10H42 de 8 de Agosto, com correcção do nome da cidade italiana.