Museu da Lourinhã assinala 20.º aniversário da descoberta de ovos de dinossauro

Um dos achados mais importantes do país.

Um dos achados na Lourinhã
Foto
Um dos achados na Lourinhã Daniel Rocha

O Museu da Lourinhã inaugura este sábado uma mostra temporária que assinala os 20 anos da descoberta do “ninho [de dinossauros] de Paimogo”, considerado um dos achados paleontológicos mais importantes do país.

“Ovos, ossos e dentes de embrião” são alguns dos achados que, entre este sábado e 15 de Setembro, podem ser vistos no Museu da Lourinhã, assinalando “um dos achados mais importantes da história da paleontologia em Portugal”, disse à Lusa Hernani Mergulhão, presidente do GEAL – Grupo de Etnologia e Arqueologia da Lourinhã.

O “ninho de Paimogo” foi descoberto em 1993 nas arribas com o mesmo nome, no concelho da Lourinhã, e mantém-se ainda hoje “como um dos mais interessantes ninhos fósseis conhecidos e estudados cientificamente”, acrescentou o mesmo responsável.

O ninho foi escavado e estudado por equipas do GEAL, revelando-se “de importância mundial”, devido à presença de “embriões bem conservados e à grande quantidade de ovos”.

Da mostra fazem igualmente parte vestígios do “ninho de Porto das Barcas”, outras das descobertas estudadas pelos investigadores do GEAL que tornaram o Museu da Lourinhã “pioneiro na utilização de tecnologias de ponta no estudo dos seus dinossauros”.

Avanços que, sublinhou Hernâni Mergulhão, permitiram aos investigadores “romper alguns mitos que havia e revelar novos conhecimentos sobre a estrutura dos ovos de dinossauro”, entretanto publicados pela revista Scientific Reports.

Sem fugir ao rigor científico, mas também sem descurar a “vertente lúdica” a exposição comemorativa dos 20 anos da descoberta do ninho é complementada com elementos documentais que explicam as características e forma de vida das respectivas espécies.

A expectativa dos organizadores é que a mostra “atraia um grande número de visitantes”, dado ocorrer nos meses de Verão e tendo em conta que no mês de Agosto do ano passado foi batido o recorde dos cinco mil visitantes.

A exposição pode ser visitada todos os dias do mês de Agosto, das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h30, com visitas guiadas às 11h00, 15h00 e 17h00. Durante o mês de Setembro, estará patente de terça-feira a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 18h00, com visitas guiadas às 11h00, 15h00.