PS tem "dúvidas fundadas" de que está a ser alvo de escutas

Partido confirma que entregou pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República.

Partido suspeita que a sua sede nacional, em Lisboa, está sob escuta
Foto
Partido suspeita que a sua sede nacional, em Lisboa, está sob escuta Pedro Cunha

O Partido Socialista suspeita que os telefones e outros meios de comunicação da sua sede nacional, em Lisboa, estão sob escuta. Um pedido de investigação foi já enviado à Procuradoria-Geral da República.

A notícia foi avançada este domingo pelo diário Correio da Manhã e confirmada ao PÚBLICO por Ricardo Pires, assessor de imprensa do partido.

O PS fala em “dúvidas fundadas” de que está sob escuta, mas não entra em detalhes sobre o caso. “O PS não faz nenhum comentário sobre o pedido entregue na PGR para o apuramento e investigação relacionado com dúvidas fundadas de que os telefones, Internet, conversas e outros meios da sua sede nacional podem estar a ser alvo de escutas ilegais”, refere uma nota enviada pela assessoria de imprensa do partido.

Entretanto, a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou num comunicado citado pela Lusa que já abriu um inquérito para averiguar a queixa do Partido Socialista.

A PGR diz que deu “entrada uma participação entregue pelo chefe do gabinete do secretário-geral do PS, relativa a eventuais intercepções nas suas comunicações” e que “de imediato foi ordenada a instauração de inquérito para investigar tais suspeitas”.