Cavaco pede aos partidos que ouçam a UGT e os patrões

Nas Ilhas Selvagens, o Presidente alerta, sem apontar nomes, contra os que “tudo farão" para que o compromisso de salvação nacional não se concretize.

Luís Filipe Catarino/Presidência da República
Foto
Luís Filipe Catarino/Presidência da República

Cavaco Silva acredita que PSD, CDS e PS ainda vão chegar a um acordo e fez um veemente apelo aos partidos para que ouçam as vozes de UGT e entidades patronais que pediram esse mesmo acordo que insiste em chamar de “salvação nacional”.

Depois de uma introdução sobre a sua visita às Ilhas Selvagens, o Presidente da República elogiou os partidos “que representam 90% dos deputados na Assembleia da República” por já irem na quinta reunião. E até elogiou “o sentido de responsabilidade, a vontade séria e empenho em conseguir chegar a um entendimento".

Admitiu que a negociação é complexa, mas, pelas informações que diz ter, acredita que os partidos “estão à altura das  responsabilidades”.

Tinha, porém, um alerta a fazer: “Os senhores sabem melhor do que eu que existem adversários do acordo de compromisso de salvação nacional e que tudo farão para que ele não se concretize e que não irão olhar a meios para que ele não se concretize.”

Questionado se entre estes estava Mário Soares, que avisou que podia haver uma cisão no PS, se o partido fizesse um acordo com o PSD e CDS, Cavaco não comentou, porque não comenta declarações de ex-presidentes da República.