Menezes pede "maioria absoluta alargada" para "bater o pé ao centralismo de Lisboa"

Candidato do PSD à Câmara do Porto quer converter o realizador Wim Wenders em embaixador do vinho do Porto e fazer lobby por um Óscar Honorário de Hollywood para Manoel de Oliveira.

Menezes prometera ser o primeiro dos candidatos a entregar as listas no município do Porto
Foto
Menezes promete ajudar Rio a terminar o mandato no Porto "com dignidade" Nelson Garrido

Luís Filipe Menezes, o candidato do PSD à Câmara do Porto, pediu esta terça-feira uma "maioria absoluta alargada" aos portuenses nas próximas eleições autárquicas, que lhe permita “bater o pé ao centralismo e Lisboa”.

“É no centro-esquerda que se ganha a maioria absoluta e é para aí que aponta o nosso objectivo. Por isso, pedimos ao povo do Porto para ter um Porto forte [o slogan da sua candidatura], tem de ser um Porto que não precisa de negociar internamente para bater o pé ao centralismo de Lisboa”.

Na apresentação das listas à câmara e assembleia municipais, o ainda presidente da Câmara de Gaia criticou, sem nomear, o candidato do PS, Manuel Pizarro. Afirmou que, ao contrário daqueles que chamam nomes sonantes do respectivo do partido para a campanha eleitoral, não terá ninguém do PSD a apoiá-lo na disputa autárquica, por preferir o apoio dos portuenses.

Depois de anunciar os treze nomes da lista para a câmara, mais sete suplentes, e dos treze da lista para a Assembleia Municipal do Porto, que é encabeçada por José Pedro Aguiar-Branco, actual ministro da Justiça, Luís Filipe Menezes anunciou que, para a semana, estará em Berlim para candidatar o Porto a cidade palco da entrega dos "óscares europeus de cinema", em 2015. O candidato do PSD pretende aproveitar a ocasião para convidar Wim Wenders para ser entronizado como cidadão honorário da cidade do Porto.

“Nos próximos dias vou-me deslocar a Berlim para ajudar a subscrever um acordo para um grande festival vinícola no Porto, nos próximos tempos, e vou ter uma conversa com o Wim Wenders, presidente da Associação Europeia de Cinema [AEC], para o convidar para ser entronizado como cidadão honorário da cidade do Porto e para ser embaixador do vinho do Porto”, revelou. O candidato acrescentou que pretende que a entrega dos prémios da AEC de 2015 seja realizado em parceria com o Fantasporto.

Paralelamente, Menezes revelou que procurará “fazer lobby no sentido de a Academia Europeia de Cinema se envolver na tentativa de fazer ainda do [cineasta] Manoel de Oliveira Óscar Honorário de Hollywood em 2015”.

“Entre os bairros, entre o comércio, entre o contacto diário com os cidadãos estou a preocupar-me já em tratar de assuntos do futuro, dado que os meus adversários, ao comportarem-se estritamente como opositores ao candidato ganhador, não me estão a dar trabalho suficiente para eu perder demasiado tempo com eles”, rematou o social-democrata.

O número dois na lista de Menezes para a câmara é o advogado Amorim Pereira. A terceira posição é ocupada pela democrata-cristã Mónica Baldaque, filha de Agustina Bessa-Luís. O engenheiro do Ambiente e líder da concelhia do PSD-Porto, Ricardo Almeida, ocupa o quarto lugar, seguindo-se o professor universitário, Ricardo Valente, economista e especialista na área dos mercados financeiros. A segunda mulher na lista é Andreia Júnior, advogada e vice-presidente da bancada do PSD na Assembleia Municipal do Porto. O engenheiro agrónomo Miguel Seabra, o advogado e director municipal da Câmara de Gaia Artur Jorge Basto e a professora, Alice Rego, ocupam os sétimo, oitavo e nono lugares.

Na lista para a assembleia, o advogado Sílvio Cervan surge em seguindo lugar e a professora universitária Cândida Oliveira foi escolhida para número três. Os advogados Francisco Carrapatoso e Eduardo Carqueja e o dirigente do Movimento Partido da Terra, Daniel Moreira, constam também da lista em quarto, quinto e sexto lugares.

Sugerir correcção