D'Bandada regressa para ver Porto a "escolher a própria música"

Festival começa a 14 de Stembro, com estilos de música variados. Os concertos, a distribuir por vários locais da cidade, serão gratuitos, como de costume.

Foto

Num espírito de "São João da música", que inclua a participação de pessoas individuais e colectivas do Porto, a organização do Optimus D'Bandada quer dar "um novo passo" no sentido de incentivar a cidade a "propor a sua própria organização de iniciativas", disse nesta terça-feira à imprensa o director de comunicação da Optimus, na apresentação do evento.

"Queremos perder o controlo da escolha musical", frisou Pedro Moreira da Silva, aludindo à "lógica de continuidade" com as edições anteriores em que "já havia um espírito de festa aberta, em que todos os concertos são gratuitos, para uma festa popular, transversal e participativa".

As novidades desta terceira edição vão incluir um espaço dedicado à spoken word, ou palavra falada, em que a rapper portuense Capicua vai convidar poetas da cidade a acompanhá-la numa iniciativa que baptizou como Língua Franca.

Pela primeira vez na D'Bandada, a música tradicional portuguesa vai estar representada através da curadoria de Tiago Pereira, músico responsável pelo projecto A Música Portuguesa a Gostar dela Própria, em que recupera e publica na Internet projectos obscuros e em extinção do folclore nacional, que deverá apresentar também pelas ruas do Porto.

As editoras de música nacionais vão estar representadas em três frentes, seja através da Optimus Discos, da Clean Feed - que deverá invadir com jazz vários cantos da cidade - ou da independente Lovers & Lollypops, incumbida de uma "maratona" musical em que quatro bandas vão circular pelo Porto, passando o testemunho à seguinte e culminando num concerto colectivo.

Entre os vários projectos musicais que vão invadir o Porto no segundo fim de semana de Setembro, contam-se ainda a apresentação do primeiro álbum de Blaya, vocalista e dançarina saída dos Buraka Som Sistema, e do primeiro longa-duração dos portuenses Best Youth.

Esta terceira edição do Optimus D'Bandada vai ter como "quartel-general" o Clube Fenianos Portuenses, depois de nos últimos dois anos ter apresentado projectos musicais de toda a índole em cafés, cabeleireiros, restaurantes, monumentos e igrejas do centro histórico do Porto que abarcaram "dezenas de milhares de participantes", segundo a organização.

Em Setembro, a festa prolonga-se ao espaço 1.ª Avenida, inaugurado em Maio deste ano nos Aliados, num evento que conta com o apoio da Câmara do Porto, através da empresa municipal Porto Lazer.