Ex-ministro das Finanças acusa Governo de “incúria” nos swaps

Teixeira dos Santos criticou o facto de o executivo de Passos Coelho ter “demorado dois anos a tratar” do caso.

O ex-ministro das Finanças do governo PS, que está a ser ouvido nesta quarta-feira na comissão parlamentar de inquérito aos swaps, acusou o actual Governo de “incúria”, por ter “demorado dois anos a tratar” deste caso.

Numa resposta ao deputado do PSD Adão e Silva, que considerou que o executivo de José Sócrates estava “alheado dos problemas” e “não tinha noção da gravidade” do rombo financeiro provocado pela subscrição destes derivados, Teixeira dos Santos devolveu as acusações.

“Está a querer desculpar a incúria do [actual] Governo, que demorou dois anos a tratar deste assunto, quando foi alertado de imediato e fundamentado em documentação que lhe foi efectivamente entregue”, respondeu o ex-ministro, referindo-se ao facto de argumentar que passou informação sobre o caso dos swaps ao seu sucessor, Vítor Gaspar, em reuniões ocorridas a 18 e 20 de Junho.

“Não andámos a dormir”, disse o ex-ministro das Finanças do PS, numa reacção às declarações do deputado social-democrata, que chegou a perguntar a Teixeira dos Santos se a temática dos swaps “não merecia ter tido um capítulo à parte” na pasta de transição entregue a Vítor Gaspar.

Recorde-se que, desde que o actual executivo tomou posse, as perdas potenciais com estes derivados duplicaram: de 1500 para cerca de 3000 milhões de euros.