Governo cancela briefing diário até situação política estar “esclarecida”

Crise na coligação interrompe encontros com jornalistas, iniciados há apenas dois dias

Luís Poares Maduro cancela encontros com jornalistas
Foto
Miguel Poiares Maduro cancela encontros com jornalistas Miguel Manso

O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, cancelou, nesta quarta-feira, as reuniões diárias com os jornalistas até a situação política estar esclarecida.

“Na sequência da declaração de ontem do primeiro-ministro, que apela à necessidade de contenção e clarificação da situação política na coligação que suporta o Governo, o gabinete do Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional informa que o briefing diário não terá lugar, sendo retomado logo que a situação política se encontre esclarecida”, lê-se no documento enviado às redacções.

Os encontros diários com os jornalistas arrancaram na segunda-feira, com o secretário de Estado Pedro Lomba a justificar a medida com a necessidade de melhorar a comunicação com os cidadãos e combater a desinformação. Maria Luís Albuquerque, então secretária de Estado do Tesouro, também foi a estrela do primeiro briefing, horas antes de Vítor Gaspar ter apresentado demissão da pasta das Finanças e de ela ser escolhida como ministra das Finanças.

A responsável foi, no dia seguinte, empossada como novo rosto do ministério do Terreiro do Paço, escolha que abriu uma crise política no Governo de coligação, precipitada pela consequente demissão de Paulo Portas, líder do CDS-PP e ministro dos Negócios Estrangeiros.

Passos Coelho em Berlim
O primeiro-ministro, que ontem veio dizer ao país que se mantém à frente do Governo, está nesta quarta-feira em Berlim numa conferência europeia sobre emprego, confirmou ao PÚBLICO fonte oficial do gabinete de Passos Coelho. Apesar da crise política, o primeiro-ministro decidiu manter a deslocação à Alemanha para preservar a “credibilidade e a “confiança internacionais”, refere a Lusa.

Neste encontro, também vão estar os principais responsáveis pelas instituições da União Europeia e dos Estados-membros.

No âmbito da conferência, Portugal e Alemanha assinaram, terça-feira em Berlim, um acordo de cooperação para ampliar a mobilidade e o intercâmbio, sobretudo de jovens, ao nível do emprego, dos estágios profissionais e da formação profissional.

O acordo foi assinado pelo ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, e pela sua homóloga alemã Úrsula Von der Leyen. Antes de se conhecer a demissão de Paulo Portas, Santos Pereira frisava que Portugal iria manter a consolidação orçamental e as reformas estruturais.