Destruída pirâmide no Peru com cerca de cinco mil anos

Um grupo de desconhecidos destruiu, no passado fim-de-semana, um complexo arqueológico localizado na área metropolitana de Lima, capital do Peru, e datado de cerca de cinco mil anos.

Foto
O complexo de El Paraíso era visto como modelo das pirâmides incas DR

Os responsáveis foram detidos pela polícia, que, no entanto, não chegou a tempo de evitar o dano irreparável neste sítio de grande importância patrimonial.

No sábado, 29 de Junho, um grupo de delinquentes usando uma retroescavadora entrou no complexo arqueológico El Paraíso e destruiu, desde a base, uma pirâmide que tinha seis metros de altura e 2.500 metros quadrados de superfície, denominada sector 12”.

O Ministério da Cultura do governo peruano descreveu assim, em comunicado citado pela AFP, a destruição levada a cabo de grande parte daquele que é o maior e mais antigo complexo arqueológico existente na área metropolitana de Lima e na costa central do Peru.

No final dessa acção, os autores do atentado juntaram o lixo e pegaram-lhe fogo, supostamente para limpar o terreno, acrescenta o comunicado governamental. E tentaram ainda destruir três outras pirâmides vizinhas, mas foram impedidos pela polícia, que acorrera ao local avisada por uma associação de defesa do património.

A polícia responsabilizou pelo acto empresas imobiliárias, que terão sido ajudadas por uma família que habitava perto do local.

O Ministério da Cultura informou também que vai processar criminalmente “os delinquentes, que actuaram, sem qualquer escrúpulo nem consideração, contra o património cultural do país”, acrecentando que eles ficarão sujeitos a uma pena que poderá ir até oito anos de cadeia.

O complexo arqueológico El Paraíso é uma construção em pedra e em socalcos, que foi descoberta pelo arqueólogo francés Frédéric Engel, em 1965, num sítio que parecia apenas uma das várias elevações que circundam Lima, junto à costa do Pacífico.

Os trabalhos de recuperação das ruínas e as escavações tinham começado apenas no final do ano passado, e em Fevereiro último foi aí descoberto a estrutura de um templo, que permitiu datar o complexo como remontando a três mil anos a.C.. Segundo os especialistas, estas edificações terão sido os modelos das posteriores pirâmides das culturas pré-incas e incas dos séculos XV e XVI.