Mais de 13 mil medicamentos ilegais apreendidos numa semana em Portugal

Infarmed alerta para riscos graves para a saúde pública após nova operação internacional de larga escala contra a venda de fármacos na Internet.

A Interpol divulgou no seu <i>site</i> várias imagens dos remédios confiscados
Foto
A Interpol divulgou no seu site várias imagens dos remédios confiscados DR

Mais de 13 mil medicamentos ilegais foram apreendidos em Portugal no espaço de uma semana, entre 18 e 25 de Junho, no quadro de uma operação internacional de combate à compra e venda de fármacos em sites ilegais na Internet.

Os medicamentos apreendidos, na sua maioria destinados ao tratamento da disfunção eréctil e emagrecimento, entraram no país por via postal e foram confiscados em Lisboa e Porto por equipas conjuntas da Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) e Autoridade Tributária.

O Infarmed fala em riscos graves para a saúde pública e volta a repetir um aviso já deixado em anteriores operações do mesmo género: “Apesar dos alertas, os portugueses continuam a comprometer gravemente a sua saúde ao adquirirem medicamentos pela Internet em websites não autorizados”, alerta em comunicado divulgado nesta quinta-feira.

Em Portugal foram apreendidas ao todo 40 encomendas postais, de um total de 3323 inspeccionadas. Os remédios confiscados têm um valor estimado de cerca de 55 mil euros.

A nível internacional, a Operação Pangea VI desenvolveu-se em cerca de 100 países e “culminou com a detenção de 58 indivíduos e a apreensão, em todo o mundo, de 9.895.926 unidades de medicamentos falsificados, potencialmente letais e com um valor estimado de 41 milhões de dólares (cerca de 31,5 milhões de euros)”. A coordenação foi assegurada pela Interpol com o apoio da Organização Mundial das Alfândegas e teve a colaboração das agências do medicamento de vários dos países envolvidos.