Governo já liquidou 69 swaps com nove bancos

Secretária de Estado do Tesouro está a ser ouvida nesta terça-feira no Parlamento.

Foto
Maria Luís Albuquerque Miguel Manso

O anúncio foi feito nesta terça-feira pela secretária de Estado do Tesouro, que está a ser ouvida no Parlamento, no âmbito da comissão de inquérito aos derivados financeiros subscritos por empresas públicas.

“Até este momento foi possível concluir o processo negocial com nove bancos e encerrar 69 derivados”, referiu Maria Luís Albuquerque, acrescentando que “a negociação permitiu uma poupança correspondente a mais de 30% do valor global negociado e eliminou aproximadamente metade das responsabilidades potenciais existentes”, como tinha já sido adiantado por fonte oficial do Ministério das Finanças na semana passada.

Nessa altura, a mesma fonte esclareceu que o risco de prejuízo tinha sido reduzido para 1500 milhões de euros de um global de 3000 milhões acumulado pelos swaps celebrados pelas empresas. A eliminação de 1500 milhões de perdas potenciais pressupôs o pagamento de 1000 milhões aos bancos e uma poupança de 500 milhões.  

O Estado continua em diálogo com algumas instituições financeiras, uma vez que a primeira fase de negociações se centrou muito na liquidação de contratos que tinham cláusulas de vencimento antecipado. Já foi possível um entendimento com todos os bancos, à excepção do Santander, que comercializou swaps que acumularam o maior risco de prejuízo.