Dois mortos na estação da Guarda em choque entre comboio e carrinha

Condutor do veículo não terá respeitado regras de segurança.

Duas pessoas morreram após uma carrinha ligeira ter sido abalroada por um comboio de mercadorias na estação da Guarda. As duas vítimas são os ocupantes da viatura ligeira. As causas para o acidente ainda não foram apuradas, mas tudo indica que o condutor do ligeiro não terá respeitado as regras de segurança na passagem de nível.

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda confirmou ao PÚBLICO que o acidente ocorreu às 15h32, numa passagem de nível sem guarda, a cerca de um quilómetro da estação da Guarda, no sentido Vilar Formoso-Guarda, da Linha da Beira Alta, quando um comboio que transportava produtos em ferro colidiu com a carrinha.

O comandante dos bombeiros da Guarda, Paulo Sequeira, adiantou que a carrinha abalroada foi arrastada ao longo de "500 a 600 metros, tendo-se incendiado em seguida". Segundo o comandante, as chamas alastraram-se à máquina da composição, mas foram controladas antes de se propagarem ao resto da composição.

As duas pessoas que seguiam no ligeiro morreram, tendo os seus corpos sido encontrados carbonizados.

O maquinista não sofreu quaisquer ferimentos, mas recebeu assistência psicológica no local, indicou o comandante Paulo Sequeira.

Ao local acorreram 22 bombeiros da Guarda, apoiados por nove viaturas, adiantou o CDOS.

A viatura e a composição acidentadas continuavam por remover ao final da tarde e os corpos das duas vítimas ainda não tinham sido retirados.

A circulação ferroviária esteve interrompida entre a Guarda e Vilar Formoso entre as 16h20 e as 21h.

O motivo do acidente ainda não foi determinado. Susana Abrantes, do gabinete de comunicação e imagem da Refer, explicou ao PÚBLICO que, com base em imagens recolhidas no local do acidente, uma passagem de nível não automatizada, estavam reunidas as condições para uma passagem em segurança. "Não terão sido tomadas as medidas necessárias de segurança [por parte do condutor do ligeiro]", diz Susana Abrantes, reforçando que existia "boa visibilidade e estariam reunidas todas as condições para que o acidente se evitasse". 

No entanto, a Refer pretende reunir toda a informação sobre o acidente, incluindo o testemunho do maquinista da composição acidentada, para avançar com mais dados.

A Polícia Judiciária vai integrar as investigações ao acidente.

Notícia corrigida às 19h54 A circulação está interrompida entre a Guarda e Vilar Formoso, e não entre a Covilhã e Vilar Formoso.