Adiada conferência de paz sobre a Síria

Promotores não chegaram a acordo sobre personalidades e países a convidar.

A guerra na Síria já fez mais de 80.000 mortos desde Março de 2011
Foto
A guerra na Síria já fez mais de 80.000 mortos desde Março de 2011 AFP

A ideia de uma conferência de paz sobre a Síria já não irá concretizar-se em Junho, como desejavam inicialmente os representantes da Rússia, dos Estados Unidos e da ONU.

Reunidos nesta quarta-feira em Genebra (Suíça), os responsáveis das três partes envolvidas na promoção de uma conferência de paz não chegaram a acordo sobre vários assuntos, incluindo os nomes dos representantes do Governo do Presidente sírio, Bashar al-Assad, e da oposição.

"A questão mais difícil é o círculo de participantes. Ao contrário do Governo, a oposição síria não tomou uma decisão sobre quem irá representá-la nesta conferência", afirmou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Gennady Gatilov, citado pela agência Interfax.

Para além dos problemas com a composição das missões, há também a questão dos países a convidar. Segundo o governante russo, ainda não há acordo sobre se o Irão, o principal aliado de Assad na região, ou a Arábia Saudita, que apoia a oposição ao regime sírio, vão ser convidados.

A ideia de uma conferência de paz sobre a Síria foi lançada a 7 de Maio pelo Estados Unidos e pela Rússia, com o objectivo de se encontrar uma solução para a guerra no país, que já fez mais de 80.000 mortos desde Março de 2011, segundo os números da ONU. Apesar de não ter sido marcada uma data, Washington e Moscovo fizeram saber desde o início do processo que tudo iriam fazer para que a reunião se realizasse em Junho.

Segundo a agência Interfax, o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo disse que os representantes dos Estados Unidos, da Rússia e da ONU deverão voltar a reunir-se no fim do mês.