Prestações de crédito à habitação caem em Junho

Nos contratos associados à Euribor a três e a seis meses, as prestações deverão continuar em níveis baixos por longos meses.

A descida dos juros decidida pelo BCE tem um impacto ligeiro no imediato
Foto
A descida dos juros decidida pelo BCE tem um impacto ligeiro no imediato Rui Gaudêncio

As famílias com crédito à habitação indexado às taxas Euribor a três e a seis meses vão voltar a sentir em Junho um alívio nas prestações pagas ao banco, segundo as contas da Deco/Dinheiro&Direitos.

Partindo da média das taxas Euribor de Maio (excluindo o dia 31), uma família com um crédito à habitação de 150 mil euros a 30 anos indexado à Euribor a seis meses e com um spread (margem de lucro do banco) de 1% vai pagar 503,41 euros por mês a partir de Junho.

Este é o terceiro mês consecutivo de descida da prestação indexada à Euribor a seis meses, o prazo mais utilizado nos contratos à habitação em Portugal. Face ao valor pago desde a última actualização dos contratos (em Dezembro), a família paga menos 4,25 euros em juros por mês.

No caso de um empréstimo nas mesmas condições, mas indexado à Euribor a três meses, a prestação vai fixar-se em Junho nos 496,43 euros. Em relação ao valor que resultou da última revisão (em Março), esta descida representa uma poupança de 1,55 euros. A média das taxas Euribor a três meses ficou em 0,201% em Maio e em 0,3% no prazo a seis meses.

A decisão do Banco Central Europeu, a 2 de Maio, de cortar nas suas taxas de juro de referência tem um impacto ligeiro, no imediato, na redução dos custos dos empréstimos – uma vez que as Euribor já estão em níveis muito baixos –, mas é uma garantia de que as taxas vão manter-se em níveis baixos por longos meses, possivelmente até ao final de 2014. A 2 de Maio, a taxa de juro que a autoridade monetária da zona euro aplica nas operações de financiamento aos bancos passou de 0,75% para 0,5%.