Vincent e Bruno disseram "sim" e assinaram a primeira certidão de casamento gay em França

Cerimónia foi transmitida em directo na Internet.

Foto
Vincent Autin e Bruno Boileau beijam-se, já casados GERARD JULIEN/AFP

Vincent Autin e Bruno Boileau acabam de se tornar no primeiro casal do mesmo sexo a casar em França, numa cerimónia na cidade de Montpellier realizada debaixo de apertada vigilância policial.

Os noivos casaram perante centenas de convidados: familiares, amigos e centenas de activistas dos direitos dos homossexuais. E também representantes do Governo francês, que enfrentou uma dura oposição para conseguir aprovar a lei do “casamento para todos”, que abre a casais do mesmo sexo o direito ao casamento e à adopção.

A cerimónia foi transmitida em directo na página oficial do município na Internet por live streaming. Perante a ameaça de protestos de rua, a câmara estabeleceu um perímetro de segurança e montou uma operação de segurança envolvendo mais de 200 agentes de várias unidades policiais.

“Foi um dia com que vocês sonharam e com que todos nós sonhamos”, declarou a presidente da câmara de Montpellier, Hélène Mandroux, que celebrou o casamento e assinalou o “momento histórico” em que “a França, país dos direitos do homem”, aprofunda os seus valores fundamentais de liberdade, igualdade e fraternidade – e se junta a países como Portugal, assinalou, na “abolição dos estigmas”.

“Esta é uma lei de liberdade, que permite que todos os franceses sejam livres na sua vontade e nas suas paixões”, sublinhou Mandroux, que leu os artigos do Código Civil relativos aos direitos e obrigações associados ao casamento, antes de perguntar o consentimento dos noivos.

“Estão unidos, pelo casamento, em nome da lei”, declarou após o "sim" de Vincent Autin, de 40 anos, e do seu marido Bruno Boileau, de 30 anos. O momento foi celebrado com aplausos e lágrimas.

A lei do “casamento para todos” era uma promessa eleitoral do socialista François Hollande. O Presidente assinou a lei no dia 18 de Maio, após a promulgação pelo Conselho Constitucional, instado a pronunciar-se sobre a sua legitimidade.

Os movimentos de oposição ao casamento gay em França não desistiram no entanto de contestar a nova legislação: no domingo, mais de 150 mil pessoas participaram numa marcha em Paris, que contou com episódios de violência e terminou com 293 detenções.