Cuba vai ter novos pontos de acesso à Internet. A 3,50 euros/hora para salários médios de 15 euros

Apenas pessoas em certas profissões, como alguns jornalistas ou investigadores universitários, têm actualmente acesso ilimitado à Internet em suas casas.

Foto
Partilhas não autorizadas de obras cinematográficass motivaram 2000 denúncias na PGR Foto: AFP

Por cerca de 3,50 euros, os cubanos poderão navegar uma hora por sites internacionais nos ciber-salões estatais. Tendo em conta que o salário médio no país ronda os 15 euros mensais, “é uma verdadeira pechincha”, ironizou um utilizador do site cubano Cuba Si, citado pela AP.

Já quanto aos sites cubanos, a BBC aponta que uma hora de navegação rondará os 46 cêntimos, enquanto que o acesso à caixa de entrada de um e-mail custará cerca de 1,16 euros.

O acesso à internet em Cuba é altamente limitado, estimando o governo que apenas 2,9% dos cubanos tenham alguma vez estado ligados à rede. Até agora, a World Wide Web tem estado disponível somente em hotéis — por 6,20 euros a hora —, empresas estrangeiras e alguns serviços do Estado, refere a AP.

Além das restrições à internet nos domicílios, a rede em Cuba é monitorizada pelo Estado, que censura sites e restringe acessos a conteúdos considerados pornográficos ou de cariz político contrário ao regime castrista.