Ecco quer aumentar produção no país e contratar mais 200 trabalhadores

Foto
A Ecco está presente em Portugal desde 1984 NFACTOS / FERNANDO VELUDO

Depois dos despedimentos de 2006, a multinacional dinamarquesa de calçado mudou de estratégia e agora quer produzir, em Portugal, 1,2 milhões de pares de sapatos em 2013

A multinacional dinamarquesa de calçado Ecco"let instalada em Portugal, em São João de Ver, Santa Maria da Feira, que passou por vários processos de reestruturação e despedimentos colectivos, mudou completamente a sua estratégia e decidiu aumentar a capacidade produtiva no nosso país. Os planos passam pela ampliação e readaptação das suas instalações e contratação de mais 200 funcionários até ao final deste ano. O processo de modernização começou em Março deste ano e deverá estar concluído em Agosto de 2014. Um investimento de cerca de 4,5 milhões de euros. As obras já começaram: haverá mais pisos nos pólos de produção e o sector administrativo terá um novo espaço.

A empresa tem os objectivos definidos. "A Ecco está a aumentar a sua capacidade produtiva em Portugal, tendo como objectivo a produção de 1,2 milhões de pares de sapatos em 2013, com a possibilidade de vir a crescer em 2014, daí o aumento da necessidade de recrutar mais funcionários", revela ao PÚBLICO fonte do grupo. Grupo que este ano comemora 50 anos de actividade com mais de 17.000 funcionários espalhados por 50 países. Fora da Dinamarca, Portugal foi a primeira aposta da multinacional em termos de produção.

Responder às exigências e necessidades do mercado é uma das premissas que o grupo dinamarquês não perde de vista. Neste momento, a Ecco tem em Portugal cerca de 610 funcionários em três áreas de negócio: 400 na área de produção, 200 na investigação e desenvolvimento e 10 na investigação e tecnologia. No final de 2013, o quadro deverá ter 800 trabalhadores, tornando-se numa das maiores empregadoras nacionais do sector. "A Ecco vai recrutar aproximadamente 200 novos funcionários para dar suporte ao aumento da produção, estando previsto atingir este número no final de 2013", concretiza.

Há várias razões que explicam o investimento do grupo no nosso país. O "elevado nível de flexibilidade em termos de produção", a diminuição dos custos, as competências e especialização de trabalhadores no fabrico de sapatos e a proximidade aos principais mercados europeus são os principais argumentos da multinacional e que, desta forma, contrariam o esvaziamento e a diminuição da capacidade produtiva que se vinha a sentir desde 2006, altura em avançou com o despedimento de 369 funcionários com o argumento de que a fábrica só seria competitiva com apenas 260 postos de trabalho.

A estratégia mudou. "A fábrica em Portugal está a levar a cabo um profundo processo de modernização e de melhorias, por forma a ir ao encontro das exigências e necessidades do mercado". "É de extrema importância estar perto dos mercados, pois os nossos consumidores esperam encontrar novos modelos de sapatos nas prateleiras cada vez mais rapidamente", revela a empresa. Os sapatos produzidos em Portugal são vendidos em todas as regiões onde o grupo está representado, ou seja, na Europa, Médio Oriente, África, Canadá, Estados Unidos da América, Ásia. Actualmente, no nosso país, a Ecco tem três lojas que vendem exclusivamente artigos Ecco. Uma loja própria junto à fábrica de São João de Ver e duas lojas franchisadas, uma no Norte Shopping e outra no Mar Shopping, todas no Norte do país. Além disso, os sapatos são comercializados em diversos pontos de venda.

Neste momento, a Ecco em Portugal, a primeira unidade de produção do grupo instalada no estrangeiro, é responsável pela produção de amostras e protótipos de todas as colecções do grupo, bem como pelas edições especiais e produtos de elevado nível de exigência e complexidade. A multinacional chegou ao nosso país em 1984. Na década de 90, a empresa atingiu uma produção de quatro milhões de pares de sapatos. Número que decaiu em 2006, em que a produção total foi de 2,6 milhões de pares de sapato. A partir daí, os custos começaram a aumentar e em 2008 a produção baixaria substancialmente para 500.000 pares. "A partir de 2009, a Ecco Portugal fazia apenas o desenvolvimento das colecções de homem e de senhora, mas já não tinha produção em série. Dois anos mais tarde, o desenvolvimento da colecção Performance começou a ser feito em Portugal e, em 2012, seguiu-se o desenvolvimento da colecção Kids", adianta.

Em termos financeiros, o volume de negócios global tem vindo a aumentar. A multinacional não apresenta os resultados divididos por unidades industriais, mas em termos de grupo. Em 2012, o volume de negócios foi de 1083 milhões de euros, mais 14% do que em 2011. O resultado antes dos impostos era de 153 milhões de euros, mais 26% do que em 2011.