Fred Turner criou em casa uma máquina que copia ADN

Queria perceber por que é que o irmão era ruivo e ele não. Então montou um laboratório genético na cave e tornou-se o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido

Fred Turner sempre ouviu na escola insinuações de que ele e o irmão, Gus, tinham pais diferentes — isto porque Gus é ruivo e Fred não. Um dia cansou-se e decidiu provar que a culpa era da genética. Mas os aparelhos necessários eram tão caros que Fred decidiu construir o seu próprio laboratório na cave.

 

Para fazer um teste genético ao irmão, precisava de uma máquina com tecnologia de reacção em cadeia da polimerase (ou PCR, na sigla em inglês). Esta técnica permite seleccionar ou ampliar genes ou zonas específicas a partir de amostras de ADN, para poderem ser analizados, sequenciados e testados.

PÚBLICO -
Foto
O jovem britânico (à direita) foi distinguido pela “National Science + Engineering Competition”

 

PÚBLICO -
Foto
Fred quer comercializar o modelo como um kit de montagem

O valor comercial dos modelos mais básicos oscila entre os 2,300 e os 3,300 euros. Mas Fred conseguiu construir o seu próprio modelo recorrendo, entre outras coisas, a peças de electrodomésticos velhos, como um leitor de cassetes de vídeo.

 

A invenção permitiu-lhe analisar o ADN do irmão e provar que a sua cor de cabelo foi causada por uma mutação genética. “Há um gene chamado MC1R que, se tiver uma certa mutação, torna-te ruivo” explicou à ITV. 

 

Entretanto o jovem, que já foi contactado por pessoas interessadas em adquirir o seu modelo, revelou o desejo de o comercializar em forma de "kit" de montagem — ou seja, vendido em peças separadas. O objectivo é celebrar a sua própria experiência reproduzindo o processo de construção.

 

Jovem Engenheiro do Ano

Com este projecto o estudante alcançou mais do que satisfação pessoal. Concorreu à edição de 2013 da “National Science + Engineering Competition” e foi considerado Jovem Engenheiro do Ano no Reino Unido.

 

A competição é anual e premeia jovens entre os 11 e os 18 anos, com projectos que se destaquem na área da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Ao longo de dois dias, os finalistas são avaliados por um júri, que depois escolhe os vencedores das várias categorias

 

Aos 17 anos, Fred Turner parece ter um futuro promissor. Já tem uma vaga confirmada na Universidade de Oxford, e em Setembro começa a estudar Bioquímica. No futuro, diz que gostava de ter o seu próprio negócio.