Marques Mendes acusa Governo de pretender “humilhar Portas”

Comentador critica gestão política da divergência interna no Governo.

Marques Mendes disse que Passos tomou a decisão de ouvir o povo, em vez de ser teimoso
Foto
Marques Mendes falou aos jornalistas no Funchal Pedro Cunha

O social-democrata adivinha, no próximo Conselho de Estado, uma estratégia de Cavaco Silva para preparar o futuro relacionamento com um Governo liderado pelo PS.

O antigo Presidente do PSD, Marques Mendes, criticou neste sábado na SIC, a gestão política da divergência entre os dois partidos da coligação a propósito dos cortes nas pensões.

O comentador afirmou que, durante esta semana “a solidariedade dentro do governo não funcionou”. Referindo-se ao que veio a público, sobre o aparente recuo de Paulo Portas sobre a TSU dos pensionistas, disse que o “Governo ou quis humilhar Paulo Portas ou deixou que Paulo Portas fosse humilhado na praça pública”, por ter permitido que saísse para o exterior a ideia que o CDS tinha recuado.

Marques Mendes acrescentou ainda que essa fuga de informação não era uma atitude “responsável”, uma vez que agravava o mal-estar dentro do Governo ao mesmo tempo que reforçava a desconfiança entre PSD e CDS.

Sobre a última crise política do Governo, aproveitou para elogiar o papel do Presidente da República por ter apostado na verbalização da necessidade de “estabilidade e consenso”.

Ainda sobre Cavaco Silva e a convocação do Conselho de Estado – órgão consultivo da Presidência de que faz parte – antecipou os objectivos do chefe de Estado. Para o social-democrata, o facto de Cavaco Silva querer debater o “pós-troika”, é um sinal de que estará já a “fazer pontes e consensos com o PS” para preparar o futuro, uma vez que esse período terá um executivo socialista.