Trienal de Arquitectura já tem júri para prémio dado a jovens arquitectos

Beatrice Galilee, Eva Franch i Gilabert, Ou Ning, Tatiana Bilbao e Diogo Seixas Lopes são os arquitectos responsáveis pela entrega do Début Trienal de Lisboa.

Para Beatrice Galilee, curadora da Trienal, os membros do júri são uma referência para os jovens arquitectos
Foto
Para Beatrice Galilee, curadora da Trienal, os membros do júri são uma referência para os jovens arquitectos Rita Chantre

A primeira edição do Prémio Début Trienal de Lisboa Millennium BCP, anunciado no final do ano passado, e que vai premiar jovens arquitectos, já tem júri, encabeçado pela britânica Beatrice Galilee. À curadora da Trienal de Arquitectura de Lisboa junta-se a espanhola Eva Franch i Gilabert, o chinês Ou Ning, a mexicana Tatiana Bilbao e o português Diogo Seixas Lopes.

À terceira edição, que inaugura a 12 de Setembro com o tema Close, Closer, a Trienal de Arquitectura decidiu apresentar um prémio que pretende reconhecer um jovem arquitecto (menos de 35 anos) ou um estúdio (a média etária também tem que ser abaixo dos 35), nacionais ou internacionais.

Para além das candidaturas submetidas pelos próprios profissionais, a Trienal convida ainda o público em geral a nomear as suas escolhas. Mas, a par disso, haverá uma lista de candidatos nomeados por 50 personalidades portuguesas ou internacionais, cujos nomes ainda não foram revelados. O prémio é de cinco mil euros, e haverá dez menções honrosas. As candidaturas podem ser feitas até ao dia 21 de Junho.

“O objectivo é construir uma perspectiva alargada da actual produção arquitectónica, com vista a identificar potenciais direcções futuras, bem como os seus protagonistas”, lê-se no comunicado divulgado esta terça-feira.

Sobre a escolha do júri, lê-se no mesmo comunicado que “foram convidados arquitectos e curadores de renome, cujo trabalho contribuiu de forma decisiva para a forma como a arquitectura é compreendida, analisada e enquadrada, enquanto prática espacial bem como discurso conceptual”.

“Estamos certos de que, para os candidatos ao Prémio Début, será tão desafiante quanto inspirador apresentar o seu trabalho a este júri, onde figuram especialistas cujo percurso e obra serão referências para os próprios candidatos”, escreveu Beatrice Galilee, que decidirá o prémio com Eva Franch i Gilabert (fundadora de OOAA – Office Of Architectural Affairs – e diretora da Storefront for Art and Architecture), Ou Ning (activista, curador, editor, artista e investigador na área do urbanismo), Tatiana Bilbao (fundadora do atelier Tatiana Bilbao S.C.) e o português Diogo Seixas Lopes (arquitecto e docente, co-fundador de Barbaslopes Arquitectos).

O vencedor será anunciado numa cerimónia oficial durante a Semana Inaugural de Close, Closer, que acontece entre os dias 12 e 15 de Setembro.