Touro mais perigoso que andava à solta em Viana já foi capturado

Populares ajudaram à operação em Outeiro. O outro touro continua a monte.

Foto
O touro foi capturado com recurso a cordas DR

Um dos dois touros, o mais agressivo, que desde segunda-feira andavam à solta pelos montes de Viana do Castelo, foi capturado neste domingo, cerca das 13h, no lugar do Ramalhão, em Outeiro, precisamente nas proximidades do local onde tinha sido avistado pela última vez na quinta-feira passada.

Segundo o que o PÚBLICO apurou junto do sargento Jorge Cruz, chefe do Serviço Protecção da Natureza e do Ambiente (Sepna) da GNR de Viana do Castelo, o animal foi capturado sem ser preciso recorrer ao dardo tranquilizante.

O responsável pelas operações desencadeadas logo após a fuga dos animais de uma quinta em Perre adiantou que “a acção dos populares foi determinante” para a recaptura do animal mais perigoso, apenas através de cordas. O facto de o animal já se encontrar “muito cansado”, facilitou, segundo o militar, que a operação tivesse sucesso apenas com a utilização de laços. Relativamente ao outro animal, o responsável do Sepna de Viana do Castelo adiantou que ainda não foi avistado mas que as equipas de militares que estão no terreno, apoiadas por populares, continuam as buscas.

O sargento Jorge Cruz explicou que nesta altura o touro recapturado já se encontra novamente na exploração agrícola, em Perre, de onde fugiu quando estava a ser encaminhado para o camião que o devia conduzir, a ele e ao que se encontra ainda a monte, ao matadouro. Tinham como destino final um talho de Ponte de Lima.

Na quinta-feira as autoridades ainda chegaram a utilizar uma vaca para atrair os dois animais mas a solução não resultou. A veterinária da Cooperativa Agrícola de Viana do Castelo explicou que a Galega, como foi baptizada pelo agricultor que a emprestou para a operação de resgate, não estava “saída”. O animal não se encontrava com o cio e, por esse motivo, a sua presença não surtiu o efeito pretendido.