Touro mais perigoso que andava à solta em Viana já foi capturado

Populares ajudaram à operação em Outeiro. O outro touro continua a monte.

Foto
O touro foi capturado com recurso a cordas DR

Segundo o que o PÚBLICO apurou junto do sargento Jorge Cruz, chefe do Serviço Protecção da Natureza e do Ambiente (Sepna) da GNR de Viana do Castelo, o animal foi capturado sem ser preciso recorrer ao dardo tranquilizante.

O responsável pelas operações desencadeadas logo após a fuga dos animais de uma quinta em Perre adiantou que “a acção dos populares foi determinante” para a recaptura do animal mais perigoso, apenas através de cordas. O facto de o animal já se encontrar “muito cansado”, facilitou, segundo o militar, que a operação tivesse sucesso apenas com a utilização de laços. Relativamente ao outro animal, o responsável do Sepna de Viana do Castelo adiantou que ainda não foi avistado mas que as equipas de militares que estão no terreno, apoiadas por populares, continuam as buscas.

O sargento Jorge Cruz explicou que nesta altura o touro recapturado já se encontra novamente na exploração agrícola, em Perre, de onde fugiu quando estava a ser encaminhado para o camião que o devia conduzir, a ele e ao que se encontra ainda a monte, ao matadouro. Tinham como destino final um talho de Ponte de Lima.

Na quinta-feira as autoridades ainda chegaram a utilizar uma vaca para atrair os dois animais mas a solução não resultou. A veterinária da Cooperativa Agrícola de Viana do Castelo explicou que a Galega, como foi baptizada pelo agricultor que a emprestou para a operação de resgate, não estava “saída”. O animal não se encontrava com o cio e, por esse motivo, a sua presença não surtiu o efeito pretendido.