Ferreira Leite acusa Passos de “perseguição”, “fixação” e “crueldade” com os pensionistas

Antiga ministra diz que o Governo trata reformados de forma quase desumana.

Foto
Ferreira Leite Enric Vives-Rubio

A antiga líder do PSD diz não perceber por que lança o Governo o pânico sobre pensionistas com medidas que não pode tomar, porque Paulo Portas não admite.

No seu habitual comentário na TVI, a antiga ministra das Finanças de Durão Barroso lembrou que Passos anunciou um corte de 3,5% nas pensões, que, depois veio Paulo Portas dizer que não admitia qualquer corte neste sector e que, nesta quinta-feira, apareceu o secretário de Estado da Administração Pública a falar num corte de 10%.

Ferreira Leite diz não entender por que se “lança o pânico” sobre as pessoas anunciando medidas que não podem avançar porque Paulo Portas foi claro a dizer que eram os cortes “ou ele”. “Se os cortes avançarem”, acrescentou, “cai o Governo de certeza absoluta”.

Por isso, a ex-ministra considera que “há uma falta de respeito sobre os pensionistas” por parte de Passos Coelho. Ferreira Leite fala mesmo em “perseguição”, “fixação” e “crueldade” com os reformados. “Quando há falta de dinheiro vai-se aos pensionistas.”

A antiga presidente do PSD elogiou a frase de Paulo Portas, que considerou que se os cortes avançassem estaria criado “"um cisma grisalho": "Aquela frase é o sentimento das pessoas".

Ferreira Leite diz também não perceber “como é que o país está tão calmo com o desemprego jovem nos 42%. Não entende também por que se corta tanto aos pensionistas e “não se viu nada sobre as Parecerias Público Privadas”.