Touros à solta em Viana foram avistados hoje mas conseguiram escapar

As autoridades insistem em alertar à população para não se aproximar dos dois touros.

Os dois touros que estão fugidos pelos montes de Viana do Castelo foram avistados nesta quarta-feira mas voltaram a escapar antes da chegada da veterinária, necessária para autorizar o abate dos animais, cada um com 500 quilos.

"Foram vistos cerca das 15h mas como tem de ser feito o trabalho na frente das autoridades eles conseguiram fugir. Quando apareceu a veterinária e o camião para os carregar já tinham desaparecido outra vez", explicou Manuel Farinhoto, o criador dos dois animais.

A presença da veterinária municipal, acrescentou, é necessária para assegurar que, sendo abatidos a tiro, a carne dos animais pode seguir para o matadouro para ser mais tarde consumida.

A GNR de Viana do Castelo lançou uma operação de busca aos dois animais, com dois anos de idade e que fugiram do criador, em Perre, na segunda-feira.

Tudo aconteceu quando Manuel Farinhoto, de 66 anos, carregava os animais, de raça galega e um deles descrito como "muito bravo", para os transportar para o matadouro, para abate.

Nessa altura, um dos touros, precisamente o mais "bravo", conseguiu escapar e um segundo, que já se encontrava no interior do camião, seguiu o mesmo caminho.

Desde as 18h de segunda-feira os dois touros já terão percorrido cerca de quatro quilómetros, entre as freguesias de Perre e Outeiro, onde foram avistados por populares pela última vez.

As operações no terreno estão a cargo de equipas do Serviço Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, juntamente com os Serviços de Veterinária da Câmara Municipal de Viana do Castelo, e serão retomadas pelas 08:00 de quinta-feira.

As autoridades insistem em alertar à população para não se aproximar dos dois touros, caso os encontrem, tendo em conta a agressividade e o nervosismo que os animais apresentam.

"Como estão muito nervosos não sabemos como podem reagir se sentirem encurralados por pessoas", advertiu Manuel Farinhoto.