Grupo assalta recinto da Queima do Porto e mata estudante

Jovem trabalhava na bilheteira do recinto e ia prestar contas do dinheiro facturado. Suspeitos, que feriram ainda dois seguranças, fugiram sem conseguir levar o dinheiro.

Fotogaleria
Marlon Correia tinha 24 anos Página Marlon Correia - Queremos justiça/Facebook
Fotogaleria
Assalto na véspera da abertura da Queima fez um morto e dois feridos Fernando Veludo/NFACTOS
Fotogaleria
Assaltantes acabaram por não levar nada da bilheteira Fernando Veludo/NFACTOS
Fotogaleria
Federação Académica do Porto mantém abertura da Queima à 0h01 deste domingo Fernando Veludo/NFACTOS

Um estudante de 24 anos foi esta madrugada mortalmente baleado durante um assalto ao recinto da Queima do Porto. Um grupo de quatro homens encapuzados e armados entrou no “queimódromo”, junto ao Parque da Cidade, na Estrada da Circunvalação, pouco antes das 1h00 e interceptou alguns dos jovens que estavam a fechar as contas da bilheteira na véspera do inicio da Queima das Fitas.

Fonte policial explicou ao PÚBLICO que o grupo, que invadiu o recinto quebrando parte de uma vedação das traseiras, entrou aos tiros e alvejou o jovem. Marlon Correia foi atingido nas costas por dois disparos, enquanto tentava fugir para se esconder. Tudo ocorreu momentos antes da chegada de uma carrinha de transporte de valores da ESEGUR que iria recolher o dinheiro facturado.

Uma viatura médica do INEM esteve no local, mas já não foi possível salvar o jovem finalista da Faculdade de Ciências de Desporto e Educação Física da Universidade do Porto. Um dos seguranças feridos foi também alvejado, mas já teve alta do Hospital de Santo António, no Porto. O outro foi agredido com uma coronhada na cabeça.

Os suspeitos continuavam a monte à hora de publicação desta notícia, apesar das várias diligências levadas a cabo pela Polícia Judiciária. O grupo não conseguiu levar o dinheiro proveniente da venda de bilhetes, tendo fugido apenas com uma carteira e um computador, que foram roubados a um casal de namorados no recinto da Queima.

Segundo familiares que se apressaram para o local, o jovem, residente em Canelas, Vila Nova de Gaia, trabalhava na bilheteira daquele recinto e há vários anos que colaborava com na organização da Queima das Fitas. No final de todos dias, juntamente com os restantes colegas, dirigia-se às instalações da Federação Académica do Porto no interior do “queimódromo”, perto da meia-noite, para entregar o total de dinheiro facturado.

Nesta sexta-feira, os familiares estranharam o facto de o jovem, nascido na Venezuela e jogador do Sporting Clube de Arcozelo, estar atrasado e ter deixado de atender o telemóvel. Marlon era ainda treinador do Canelas Gaia Futebol Clube, segundo a sua página de Facebook.

Quando os pais e um irmão chegaram ao local, já o pior tinha acontecido. A entrada principal do recinto permaneceu fechada com vários seguranças e agentes da PSP à porta, durante várias horas. Segundo o PÚBLICO testemunhou no local, a PSP mobilizou agentes para as traseiras do Parque da Cidade, junto à Avenida da Boavista, no sentido de interceptar eventualmente os suspeitos, mas sem sucesso.

No interior do “queimódromo” estiveram diversos inspectores da PJ do Porto e uma equipa do Laboratório da Polícia Científica, que recolheu, até perto das 5h, indícios que possibilitem a identificação dos autores do assalto. A investigação do assalto e homicídio está a cargo da PJ.