Governo quer dispensar 30 mil funcionários públicos

Plano de rescisões será acompanhado por um novo processo de reorganização dos serviços.

Foto
Passos Coelho destacou o facto de Portugal ter registado, em 2013, um excedente externo face ao exterior Daniel Rocha

“Este plano que, recordo, será de mútuo acordo, deverá ser acompanhado por um novo processo de reorganização dos serviços, implicando uma redução natural das estruturas e dos consumos intermédios”, disse.

Combinado com o sistema que substituiu a mobilidade especial, o número global de trabalhadores a reduzir chega aos 30 mil.

Quanto a prazos, a mobilidade especial entra em vigor já este ano, e as rescisões por mútuo acordo terão de ser pedidas pelos trabalhadores entre Setembro e Novembro e, por isso, só no próximo ano deverão produzir efeitos.