Vítor Pereira admite adeus ao título e diz que campeonato está “sujinho, sujinho”

O treinador do FC Porto voltou a falar do derby de Lisboa e não crê que o título fuja ao Benfica.

Vítor Pereira garante que FC Porto vai lutar até ao fim pelo título
Foto
Vítor Pereira garante que FC Porto vai lutar até ao fim pelo título Miguel Riopa/AFP (arquivo)

Vítor Pereira referiu que a revalidação do título nacional de futebol por parte do FC Porto “é impossível” e acrescentou que o campeonato está “manchado” e “sujinho, sujinho, sujinho”.

Vítor Pereira, que falou na antevisão do jogo de sábado com o Nacional, da 28.ª jornada, sustentou a sua opinião com o exemplo do derby Benfica-Sporting, de há duas jornadas, que considerou ter sido “de mais” e “inadmissível”.

“Gostava que fosse limpinho, limpinho, limpinho, mas é um campeonato que fica manchado e passa a sujinho, sujinho, sujinho, por um jogo inadmissível há duas jornadas atrás”, disse.

O treinador portista garantiu que a sua equipa tudo irá fazer para vencer os três jogos que faltam até ao final do campeonato, mas, para diminuir o fosso pontual para o Benfica, terá que contar com ajuda de terceiros, que não crê ser possível.

Para além de ter que vencer o Nacional, para manter intactas as aspirações matemáticas de chegar ao título, o FC Porto necessita de uma ajuda dos adversários do Benfica. O próximo é o Estoril, mas Vítor Pereira não acredita que tal vá acontecer.

Vítor Pereira destacou a qualidade de jogo apresentada pelo Estoril, mas sustentou que o Benfica acabará por ganhar, “mesmo que não seja por mérito desportivo”, e os “canarinhos” acabarão por deixar na Luz os três pontos em disputa.

Relacionado ainda com a visita do Estoril à Luz, o treinador portista abordou o alegado interesse do Benfica no central estorilista Steven Vitoria, que está em dúvida, tal como já tinha acontecido anteriormente com Vítor, do Paços de Ferreira.

Vítor Pereira, que recordou ainda a abordagem de há dois anos do Benfica a Jardel, no próprio dia do jogo dos “encarnados” com o Olhanense, considerou estes processos do clube rival pouco éticos e, em sua opinião, nada correctos. “À mulher de César não basta ser séria, tem que parecer séria”, apontou o treinador, considerando que estes gestos – alegado interesse em jogadores de equipas adversárias em vésperas de jogos – “não dignificam o futebol português”.

O treinador considera que FC Porto e Benfica são as equipas que se destacam das restantes, “em termos de resultados, regularidade e qualidade de jogo”, pelo que gostava que o título fosse discutido até à última jornada e atribuído por mérito desportivo. “Mas, pelo que tenho visto, vai ser impossível de acontecer”, desabafou Vítor Pereira. “Há duas jornadas, diria, com legitimidade, que o título ia ser discutido até ao fim, mas, neste momento, e depois das duas últimas rondas, já não acredito nisso”.

O treinador diz que não está a fazer contas nesta recta final e que, frente ao Nacional, na Madeira, o FC Porto tem a obrigação e a responsabilidade de honrar o seu trabalho, o clube, os adeptos, e fazer tudo para ganhar os jogos que faltam.

“Vamos encontrar um adversário difícil, num campo difícil, que possui jogadores de qualidade, mas vamos para honrar o nosso trabalho, a nossa qualidade de jogo e conquistar os três pontos. De outro modo, não seria admissível”, acrescentou.

A motivação da equipa, ainda segundo o treinador, passa por dignificar e honrar o trabalho feito até aqui.

“Tenho total consciência do que foi este campeonato da primeira até à última jornada. Sei o que foi o nosso jogo na Luz. Recordo todo o trajecto e, sem querer retirar mérito, não estou aqui para branquear nada”, disse.