Governo quer repor em 2014 cortes nas despesas com pensões e salários

São claros os alvos dos cortes na despesa que o Governo vai apresentar nos próximos dias. No DEO, a despesa prevista com pensões e salários volta em 2014 ao nível de 2012, o ano em que os subsídios de Natal e de férias não foram pagos.

Foto
O ministro Vítor Gaspar afirmou que a escolha dos cortes na despesa a realizar ainda está em aberto Daniel Rocha

A intenção é clara nas tabelas que compõem o Documento de Estratégia Orçamental (DEO), que ontem foi aprovado em Conselho de Ministros e entregue na Assembleia da República e à Comissão Europeia. O Governo não revelou no documento, como é hábito, quais as medidas concretas que pretende implementar, mas divulgou as novas metas que pretende atingir para as componentes mais importantes das contas públicas.

Leia mais no PÚBLICO de hoje e na edição online exclusiva para assinantes