Souto de Moura Nelson Garrido
Foto
Souto de Moura Nelson Garrido

Souto de Moura recebe Prémio da Fundação Wolf em Telavive

Prémio da Fundação Wolf 2013 entregue ao arquitecto português numa cerimónia, em Telavive, que conta com a presença do presidente israelita, Shimon Peres

O arquitecto Eduardo Souto de Moura vai receber domingo, em Israel, o Prémio da Fundação Wolf 2013 para a área da Arquitectura, numa cerimónia que contará com a presença do presidente israelita, Shimon Peres.

Os prémios da Fundação Wolf são atribuídos desde 1978 nas áreas das artes e das ciências, distribuídos pelos campos da agricultura, química, matemática, medicina e física.

Na área das artes há uma rotatividade anual pela arquitectura, música, pintura e escultura, e Souto de Moura será o segundo português a ser distinguido com o prémio, depois de Álvaro Siza Vieira o ter conquistado em 2001.

Em Janeiro deste ano a fundação israelita anunciou todos galardoados de 2013, entre eles o arquitecto Eduardo Souto de Moura, 60 anos, distinguido com o Prémio Pritzker em 2011.

Contactado pela Lusa, o gabinete de imprensa da Fundação Wolf indicou que a cerimónia de entrega dos prémios vai decorrer domingo, dia 5 de Maio, às 17h locais (19h em Lisboa), no Knesset (parlamento), em Telavive.

Na cerimónia, além do presidente de Israel, Shimon Peres, estarão representantes do parlamento, e o novo Ministro da Educação israelita e presidente da Fundação Wolf, Shai Piron.

Este ano, os cinco prémios são repartidos por oito galardoados de quatro países: Portugal, Estados Unidos da América, Alemanha e Áustria.

Outros nomes premiados em 2013

Eduardo Souto de Moura foi escolhido pelo júri pelo contributo para “o progresso na arte e no campo da arquitetura”. Nascido em 25 de Julho de 1952, no Porto, o arquitecto licenciou-se em 1980 pela Escola Superior de Belas Artes daquela cidade, integrando o grupo da chamada “Escola do Porto”, com Fernando Távora e Álvaro Siza Vieira.

Iniciou atividade em 1980, ano em que recebeu o primeiro prémio pelo seu trabalho, atribuído da Fundação António de Almeida, seguindo-se outras distinções, como o prémio da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), em 1996, o Prémio Pessoa, em 1998, e o prémio Secil 2004, pelo projecto do Estádio Municipal de Braga.

Este ano também foram galardoados com os prémios Wolf, na área da física, Juan Ignacio Cirac (Alemanha) e Peter Zoller (Áustria), na matemática, ganharam George D. Mostow e Michael Artin (Estados Unidos da América), na química, foi dintinguido Robert Langer (Estados Unidos da América) e mais dois cientistas ganharam o prémio na área da agricultura, Jared Diamond e Joachim Messing (Estados Unidos da América).

Até hoje, a Fundação Wolf já distinguiu 253 cientistas e artistas de 23 países, alguns deles vieram a ser mais tarde galardoados com prémios Nobel. O prémio consiste em 100 mil dólares (cerca de 77 mil euros) e um certificado.

Sugerir correcção