Socráticos fora da lista da Comissão Nacional do PS

A negociação decorreu até de madrugada, mas não houve consenso.

Foto
A lista única da Comissão Nacional foi aprovada por uma folgada maioria Nelson Garrido

O núcleo duro do antigo secretário-geral do PS, José Sócrates, ficou fora da lista da Comissão Nacional do PS, encabeçada pelo antigo ministro da Justiça e actual deputado, Alberto Martins.

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, surge em número dois e Maia Amélia Antunes, presidente da Câmara do Montijo e ex-deputada, é a primeira mulher socialista na lista única da Comissão Nacional, aprovada sábado por uma folgada maioria no XIX Congresso Nacional do PS, que este domingo termina em Santa Maria da Feira. 

Os deputados José Lello, Isabel Santos, Renato Sampaio, Fernando Sarrasqueiro e André Figuiredo estão fora da lista da Comissão Nacional do partido, o órgão mais importante entre congressos, composta por 250 elementos.

José Lello, ausente do Congresso por razões de saúde, Isabel Santos e Renato Sampaio, que tinham assento na anterior comissão e também na Comissão Política Nacional, não aceitaram que Fernando Sarrasqueiro, ex-secretário de Estado do Comércio e Turismo, e André Figueiredo, ex-membro do Secretariado Nacional e responsável pela direcção nacional no consulado de Sócrates, ficassem de fora da lista e decidiram não aceitar nenhum lugar na nova Comissão Nacional. A negociação decorreu até de madrugada, mas ficou sem consenso.

Francisco Assis diz que respeita a decisão de um grupo de deputados próximos de José Sócrates recusar ficar na lista da Comissão Nacional do PS e considera que a “decisão não põe em causa  a unidade do partido”.

“Foi um gesto de solidariedade para com dois deputados do partido [André Figueiredo e Fernando Sarrasqueiro] que eu respeito, mas não tenho mais nada a dizer”, afirmou ao PÚBLICO Francisco Assis.

“Pelo meu lado, era manifestamente impossível forçar a entrada de André Figueredo e de Fernando Sarrasqueiro, porque optamos por um princípio de manter as pessoas que estavam na Comissão Nacional, e do outro lado, também não havia vontade de os incluir”, sublinhou o deputado Francisco Assis, que não antevê consequências  desta decisão do núcleo duro de José Sócrates para a direcção de António José Seguro.

Assis, ex-líder da bancada parlamentar do PS, ocupa o quarto lugar, seguindo-se Carlos Zorrinho, Edite Estrela, José Luís Carneiro, Rui Solheiro, Jamlia Madeira, João Proença, Carlos César, Idália Serrão, José Junqueiro, António Braga, Ana Catarina Mendes, Mota Andrade e Joaquim Raposo.

A lista da Comissão Nacional de Fiscalização Ecoómica e Financeira é presidida por Domingues Azevedo e na Comissão Nacional de Jurisdição mantêm-se o deputado António Ramos Preto.

Na votação anunciada este domingo pela presidente do PS, Maria de Belém, registaram-se 71 votos em branco no escrutínio à Comissão Nacional mas nenhum voto contra. Do total de 1683 delegados, a lista conjunta conseguiu 1612 votos a favor. Os votos brancos foram menos numerosos para as Comissões de Jurisdição e Fiscalização.


Notícia corrigida às 13h. Foi retirado o nome de Paulo Campos, inicialmente referido como sendo um dos deputados que estava fora da lista